.
O número 12 e seus significados simbólicos

O número 12 e seus significados simbólicos

O número 12 está presente em diversos âmbitos da humanidade, desde os primórdios da civilização. O ano é composto por 12 meses, Hércules teve 12 trabalhos, Jesus Cristo teve 12 Apóstolos, a távola redonda do mito arturiano tinha 12 cavaleiros, a coroa do Rei da Inglaterra é incrustrada de 12 pedras, entre muitos outros exemplos. O fato é que o número 12 possui fortes significados simbólicos na história, religião, astrologia e magia.

O calendário Babilônico era baseado no número 12, já que o tempo tem forte ligação com essa numeração: o dia é dividido em 2 períodos de 12 horas, dia e noite. O relógio marca duas vezes as 12 horas e os minutos que são medidos em 60 segundos, são o resultado de 5×12. As notas musicais também são 12 (C, C#, D, D#, E, F, F#, G, G#, A, A#, B), assim como os graus cromáticos (dó, dó#, ré, ré#, mi, fá, fá#, sol, sol#, lá, lá#, si).  As matrizes de cores primárias, secundárias e complementares contabilizam 12: Amarelo, Amarelo Alaranjado, Amarelo Esverdeado, Azul, Azul Esverdeado, Azul Violeta, Laranja, Verde, Vermelho, Vermelho Alaranjado, Vermelho Violeta e Violeta. Conheça melhor os significados simbólicos do número 12 em diferentes áreas.

O número 12 em diferentes culturas

Quando se reúne toda a simbologia do 12 em culturas diversas alcançamos o número do justo, do equilíbrio e a elevação total, completa. Este é o número do zênite do sol, o momento em que ele atinge seu ponto mais alto, uma metáfora para a maior luz que se pode obter, a iluminação total.

Os signos e as casas do Mapa Astral são 12. Portanto, o número possui um significado de harmonia e equilíbrio na astrologia, que se associa ao signo de PeixesPeixes, o décimo segundo signo do zodíaco. O zodíaco chinês também usa o número 12 como base, formado por 12 animais em que cada um representa um ano, completando um ciclo de 12 anos.

A Cabala enxerga grande relevância no 12, acredita-se que exerça influência na sensibilidade das pessoas, outros ligam o número à renúncia pessoal e paixões. Traz também significado na evolução e desenvolvimento, saúde do corpo e da alma, a mente, o pensamento e a essência das coisas e dos objetos.

Para os antigos alquimistas, que trabalham com as misturas de elementos químicos, o 12 era considerado o resultado da tríade dos elementos básicos – enxofre, mercúrio e sal –  com os quatro elementos da natureza – fogo, ar, terra e água.

No tarô, o Arcano 12 é representado pelo Pendurado que, dentre várias interpretações, simboliza o sacrifício, o trabalho sagrado, o equilíbrio e o comprometimento da Divindade diante à humanidade. As ideias de sacrifício, equilíbrio e comprometimento é que fazem com que o Arcano 12 seja conhecido como o Arcano dos Yokanaans, os anunciantes dos novos Avataras, assim como João Batista foi em relação a Jeoshua Ben Pandira, o Jesus Cristo.

Na astrologia, os focos energéticos se espalham por todo o universo e possuem uma certa direção. Os meridianos que dividem a Terra separam a captação das energias, que podem exercer influência sobre tudo que vive no mundo. Existe uma base que utiliza simbolicamente os 12 focos de irradiação, conhecidas como constelações zodiacais. As tendências, ou energias, não vêm diretamente das constelações e estrelas, elas são apenas os marcadores em um grande mapa que indica a posição da Terra relacionada com a interatividade com essas energias.


Clique aqui: Numerologia Cabalística – o que é e como funciona


O número 12 na religião

O 12 possui uma aura sagrada nas tradições judaico-cristã. Existem alguns fatos que comprovam isso, como os 12 apóstolos que foram seguidores de Jesus: o príncipe dos apóstolos, Pedro; o primeiro Pescador de Homens, irmão de Pedro, André; o apóstolo bem-amado João; o Maior, irmão de João, Tiago; o místico helenista, Filipe; o viajante, Bartolomeu; o ascético, Tomé; o publicano, Mateus ou Levi; o Menor, Tiago; o primo de Jesus, Judas Tadeu; o Zelote ou o Cananeu, Simão; o traidor, Judas Iscariotes. Depois de se enforcar por sua traição, Judas foi substituído por Matias, para que se mantivessem 12 apóstolos.

Existem diversos outros fatos que indicam a importância do doze na tradição judaico-cristã: os doze apóstolos, como vimos acima; as doze tribos de Israel; o peitoral do sumo sacerdote que contém 12 pedras preciosas; a cidade de Jerusalém que possui doze portas; doze anjos as protegiam; Jesus teve doze aparições, depois de ser crucificado; depois da multiplicação dos pães, doze cestos foram enchidos com a sobra; na antiguidade, os rabinos diziam que o nome de Deus continha 12 letras.

Na Bíblia, é dito que o número dos eleitos era 144.000, 12 vezes 12.000. Os profetas menores do Antigo Testamento contabilizam doze: Abdias, Ageu, Amos, Habacuc, Joel, Jonas, Malaquias, Miquéis, Nahum, Oseias, Sofronio e Zacaris.

Os 10 mandamentos, na verdade são 12, como se diz na tradição a respeito das Tábuas da Lei recebidas por Moisés: “Haviam doze mandamentos, e não dez; dois mandamentos foram perdidos e permanecerão ocultos até que o homem esteja preparado para recebê-los”.

As 12 tribos de Israel vieram dos 12 filhos de Jacó. Ele vestia um peitoral que continha doze pedras encrustadas. De acordo com a tradição, as pedras seriam as bases de doze poderes cósmicos.

Diversas culturas davam relevância ao número 12 em suas religiões. Os deuses dos caldeus, etruscos e romanos se dividiam em 12 grupos. O deus supremo da Escandinávia, Odin, era conhecido por doze nomes. 12 deuses eram adorados no Japão, assim como foram relatados 12 deuses gregos no Olimpo por Platão.

Segundo a mitologia japonesa, o Criador se senta sobre doze almofadas sagradas e de acordo com as crenças coreanas, o mundo se divide em doze regiões. Deus Tot (Hermes) deixou a Tábua das Esmeraldas, que contém doze proposições essenciais que devem ser descobertas e estudadas pelo discípulo.

O número 12 e sua ligação com o 3

Aprofundando nos significados simbólicos do número 12 é necessário entender também a simbologia do número 3, já que ambos estão interligados. 30 graus vezes 12 completam 360 graus de uma circunferência perfeita. O 3 é o primeiro número da geometria, já que são precisos três pontos para formar um triângulo, a primordial figura geométrica. A Santíssima Trindade se dá pelo 3, representando a plenitude de Deus. A harmonia só pode ser atingida pelo 3, que representa o fim da dualidade, o balanço dos contrários.

A nossa realidade é composta por 3 dimensões e os pitagóricos conferem ao número tudo o que ocorre em nossa dimensão. Pitágoras afirmava que o 3 era o número do universo dos fenômenos e fazia parte da natureza da mônada (1) e da diada (2):

1 – monada – ativo

2 – diada – passivo

3 – triada – neutro

A Unidade é a Lei de Deus, ou seja, do Primeiro Princípio, da Causa Imanente e Pre-Antinômica, o número nascido da multiplicação da Unidade e por meio da Dualidade é a Lei do Universo, a Evolução, expressão da Lei do Ternário, é a Lei da Natureza. (Pitágoras)

Assim como o 12, o 3 está presente nas religiões, sociedades e ciências: representa a Santíssima Trindade no Catolicismo; na religião Hindu venera-se uma trindade de divindades – Brahma, Vishnú e Shiva; no zodíaco, cada signo obtém 3 decanatos, subdivisões do mesmo signo e entre os planetas existem 3 fortunas e 3 infortúnios; na astrologia, existem 3 signos para cada elemento da natureza, 3 signos de água, 3 signos de ar, 3 signos de terra e 3 signos de fogo, totalizando 12 signos; os gregos consideravam o 3 como a origem de tudo, bebiam 3 vezes pela honra das 3 graças e viam o mundo sob 3 divindades: Plutão, Netuno e  Júpiter.

Na antiguidade, encontra-se indícios da importância do número 3. As religiões ancestrais escandinavas acreditavam que a árvore que contém o mundo tinha 3 raízes e três fadas residiam na morada dos deuses. Os egípcios, tinham a crença que o Ser Humano tinha 3 corpos: Dyet, o corpo físico; Ka, o corpo fluído ou astral; Ba, o espírito.

O Egito tinha seu reino dividido em três partes:  Alto Egito; Egito Médio; Baixo Egito. Essas zonas ainda se dividiam em três províncias e cada uma era protegida por um Deus, ou seja, 30 deuses se agrupavam de 3 em 3. O 3 expressa a percepção ternária da realidade: mundo natural; mundo filosófico; mundo religioso;

Diversas doutrinas e culturas espalhadas pelo mundo estão focadas no controle e equilíbrio da tríade: Espírito, Mente e Corpo. Os 3 reis magos seguiram uma estrela até Belém para visitar Jesus. De acordo com o Evangelho, houve 3 evangelistas sinópticos e Pedro negou três vezes a Cristo ante do galo cantar.


Clique aqui: Você é estressado? A culpa pode ser da numerologia. Confira!


As raízes dos significados simbólicos

Algumas pessoas afirmam que diversas coincidências juntas se anulam e constroem um fato. Este fato é que o 12 é um número peculiar, que se encontra na base de diferentes civilizações, em torno de vários temas, simbologias e escrituras da história da humanidade. Mas, como isso começou? Com qual objetivo? Acredita-se que o 12 não foi escolhido por acaso. Tudo leva a crer que a principal fonte que pode ter influenciado as civilizações ancestrais, e que se mantem até hoje, é uma das ciências mais antigas: a Astrologia.

A reflexão a respeito desses simbolismos pode ser um bom começo para entender o código que faz parte do sentido da vida. Não apenas no sentido filosófico, pois existem alguns padrões físicos que surgem do mesmo princípio. Podemos acreditar que fomos criados ou ensinados, a partir de uma mecânica básica e precisa que está no centro de um código criado e tudo parece vir de uma mecânica astrológica. Porém, essa é apenas uma teoria que pode dar sentido a todas essas coincidências. Reflita e crie sua suposição a respeito de todos os significados simbólicos do número 12.

Saiba mais :

WeMystic Brasil WeMystic Brasil

Acima de tudo, queremos ver você feliz e equilibrado. Compartilhamos informação e autoconhecimento. Acreditamos que o conteúdo pode te ajudar a ter uma vida mais equilibrada e tranquila.