.

O que é aromaterapia?

A aromaterapia é uma ciência que desvenda os impactos que o perfume das plantas causam no ser humano. Através da erva in natura ou de seu líquido extraído da raiz, tronco, galho, folha, flor ou fruto, chamado de óleo essencial, é possível vivenciar efeitos físicos e psíquicos. Isto porque ao ser inalado ou enviado para a corrente sanguínea, via contato do óleo com a pele, atinge o sistema nervoso central (SNC). O SNC tem ligação direta com nossos músculos e glândulas.

A aromaterapia utiliza aromas para tratar doenças e problemas mentais, espirituais e psicológicos. Consiste em aplicar óleos essenciais de plantas em prol da saúde de um indivíduo. Através da extração desses óleos essenciais, a aromaterapia tem poderes benéficos para pessoas, crianças e animais em diversos aspectos da vida. Pode também ser facilmente utilizada, desde que com o conhecimento adequado. Os aromas podem ser isolados ou combinados para atingir objetivos específicos e de acordo com a personalidade das pessoas.

 

História da aromaterapia

Em 1928, o químico francês René-Maurice Gattefossé escreveu o livro “Aromathérapie: Les Huiles essentielles hormones végétables”. A obra era resultado de um estudo sobre as propriedades terapêuticas dos óleos essenciais que começou em um laboratório.  A família de Gattefossé era proprietária de uma indústria de perfumes. Enquanto trabalhava, Gattefossé queimou sua mão acidentalmente e a mergulhou numa vasilha contendo óleo essencial de lavanda. Para sua surpresa, a queimadura foi curada rapidamente, não infeccionou, nem deu bolhas e cicatrizou. 

Desde então, os óleos essenciais passaram a contribuir com a medicina. Eles foram utilizados em soldados feridos na Segunda Guerra Mundial e hoje auxiliam na beleza e rejuvenescimento da pele. 

 

Benefícios da aromaterapia

O principal objetivo da aromaterapia é equilibrar o corpo e a mente. Para potencializar seu efeito, ela é dividida em três áreas:
  • Dermatologia e estética: voltada para tratamentos de pele e corpo. Exemplo: acne, clareamento de manchas, limpeza de pele, celulite, estria, desintoxicação, gordura localizada e flacidez.
  • Aromacologia: utiliza óleo essencial e sintéticos para alcançar efeitos psíquicos e comportamentais. Exemplo: pode despertar o bom humor, elevar a criatividade, trazer segurança e eliminar o estresse.
  • Terapia complementar: óleos essenciais auxiliam a medicina tradicional no tratamento de inúmeras enfermidades. Entre elas: doenças respiratórias, insônia e má digestão.

 

Aplicação da aromaterapia

O óleo essencial pode ser obtido de diferentes partes da planta. Cada uma destas partes possuem as seguintes propriedades terapêuticas: relaxante, estimulante ou equilibrante. A fórmula ideal é decidida pelo terapeuta.  Após estudar o caso do paciente, o especialista pode aplicar o produto via massagem, compressa, creme ou óleo corporal. A pessoa em tratamento também pode receber o óleo essencial através do banho. A essência pode ainda ser inalada por meio de aromatizadores, vela ou pot-pourri (mistura de folhas, cascas e frutos secos).

 

Óleos essenciais

São substâncias voláteis e concentradas com princípios ativos de composições químicas. Podem ser adquiridos ou extraídos em casa com métodos específicos. Na aromaterapia, são utilizados por terem aromas, cores e densidades específicos, de acordo com suas características diferenciadas. Eles podem ser, muitas vezes, diluídos em outras substâncias chamadas veículos. Podem também ser aplicados sobre a pele, através de massagens, cremes, loções ou perfumes. Normalmente, funcionam pela inalação.

A aromaterapia tem efeitos físicos, mentais e emocionais, alterando sua respiração, batimentos cardíacos, pressão, ânimo e concentração. Por isso, muitas vezes um cheiro que sentimos nos remete a infância, nos deixando nostálgicos, por exemplo. A aromaterapia combate energias negativas, trazendo uma série de coisas benéficas para sua vida. Através dela, você trabalha seu humor, sua saúde, suas emoções e até mesmo a sua fertilidade.


Plantas mais usadas na Aromaterapia

As plantas mais utilizadas na aromaterapia são: alecrim, alfazema, arnica, arruda, artemísia, boldo, calêndula, camomila, capim-limão, erva-cidreira, erva-doce, funcho e hortelã. Isso porque os óleos essenciais extraídos destas plantas possuem uma ampla variedade de propriedades, especialmente curativas. Eles podem ser utilizados na aromaterapia de forma eficaz para manter sua saúde, regenerando suas células, aliviando dores, estimulando o equilíbrio de outras funções do seu organismo e ajudando no combate a bactérias, fungos e outras infecções indesejadas.

Além disso, essas plantas auxiliam na digestão e no estresse, proporcionando um aumento de energia e concentração mental.

Gostou? Compartilhe!