.
Falar sobre política faz parte da espiritualidade?

Falar sobre política faz parte da espiritualidade?

Muito tem sido discutido sobre elevação da consciência e a palavra da vez é despertar espiritual. Como a expressão mesmo já diz, trata-se de acordar o espírito, torna-lo desperto, consciente. Isso se faz através de conhecimento, munindo a alma das verdades do mundo para que ela saia da inércia da ilusão. Mas focamos na teoria e é comum encontrar entre os discursos esotéricos a máxima de que política não se discute e que devemos ficar longe do tema, se quisermos preservar a nossa vibração e sanidade.

“Política é a forma mais perfeita de caridade”
Papa Francisco

Isso é obvio. Especialmente quem mora no Brasil, tentar acompanhar os acontecimentos políticos pode custar a saúde. O impacto negativo que o tema causa em nós tem toda a razão de ser e realmente é muito complicado se envolver com ele. Porém, também não é saudável e nem recomendado se abster por completo.

Uma coisa é acompanhar notícias e militar, se envolver diretamente, outra coisa é estudar sobre o tema para tentar compreender melhor a realidade onde estamos encarnados e como ela funciona. Muito pouca coisa é insubstituível na História humana. Uma delas é a política. Ainda não se inventou outra forma de nos organizarmos como coletividade.

Enxergando a realidade

Querer despertar tem sua parcela de entendimento da realidade. Alguns pensam que basta estudar sobre espiritualidade, tentar compreender a vida após a morte e alguns mistérios do mundo, que estaremos espiritualizados. Outros pensam que se trata de manipular as emoções e usar a força da mente para obter sucesso, riqueza e prosperidade. Nenhum desses objetivos está errado, ao contrário, nos faz bem ao espírito desfrutar de uma vida confortável e de onde seja possível extrair satisfação. Mas, focar todos os esforços nisso nos fecha em nós mesmos e nos aliena da realidade a volta de nós.

Pense com mais cuidado: como pode não ser importante compreender a realidade da matéria para despertar o espírito? Não viemos aqui para enriquecer e descobrir a Lei da Atração. Viemos para algo mais, algo que não trata somente de nós e sim do coletivo. Claro que individualmente, tem mais controle e possibilidade de sucesso, pois temos pouca influência sobre os outros e sobre o mundo. Não dá para lutar contra o sistema, isso é fato. Mas compreendê-lo é uma poderosa arma contra ele. E todo esse “algo mais” que constitui a nossa missão na Terra, está permeado pela política.

“Quando alguém compreende que é contrário à sua dignidade de homem obedecer a leis injustas, nenhuma tirania pode escravizá-lo”
Gandhi

Quer ver só? A religião que você professa não é uma escolha só sua. Tem a ver com política e decisões históricas tomadas no passado. Aliás, o fato de podermos ou não escolher a nossa religião é um elemento totalmente político. Na Coréia do Norte, por exemplo, está terminantemente proibida qualquer expressão religiosa.

A música que você ouve e a possibilidade de ouvi-la é política também. Se você pode ser dono da sua casa ou não, se quando você quer se locomover existem transportes públicos e o preço eles, as roupas que têm disponíveis nas lojas e o quanto elas custam. Se quando você fica doente tem acesso a tratamento ou não, quanto custam os remédios na farmácia, o valor dos alimentos no mercado. Se você teve ou não o direito de ir à escola e a qualidade desse ensino, bem como se conseguirá, ou não, cursar uma universidade. E se conseguir, será que haverá emprego no mercado quando você terminar os estudos? Ou terá de se sujeitar aos trabalhos pesados, muitas vezes análogos à força escrava? Será que o que você come está te nutrindo ou te matando? Política, política e política outra vez.

Você tem direito de ser quem é no seu país, de andar pelas ruas sem se esconder? Se sim, isso também é política. Liberdade de pensamento, liberdade de escolha, oposição às ideias vigentes, orientação sexual, tudo isso que compõem a sua realidade e dos outros que dividem a sociedade com você, é pura política. E como você espera transcender, despertar o espírito sem compreender a realidade?


Clique Aqui: Espiritualidade nas grandes cidades


O bem-estar social

É importante dizer, em tempos de ânimos exaltados, que este artigo não tem a intenção de discutir ideologia, nem muito menos fazer um juízo de valor sobre qual dos lados é melhor. Até porque, especialmente no Brasil, dá para perceber através da história do país que a corrupção está meio generalizada e entrelaçada com nossa história. Aliás, novamente aqui vai a política: entender o país em que se mora para tentar melhorá-lo é um ato totalmente político. E quem não quer o melhor para o Brasil? Quem, se tivesse super poderes, não gostaria de fazer do país um oásis de honestidade, igualdade, segurança? Exceto quem se beneficia da corrupção, a mais ninguém interessa uma nação destroçada.

O fato é que somos seres sociais e vivemos em sociedade. E faz parte do despertar perceber isso e começar a agir em prol do bem comum, pois o amor incondicional é um dos preceitos básicos espirituais, desde antes de Jesus, que nos ensinou a oferecer a outra face.

Olharmos só para nós não resolve o problema. Se isolar numa caverna e meditar para sempre é pensamento que às vezes temos, diante de tantas barbaridades que observamos acontecer. É, inclusive, sedutor e também confortável. Entretanto, vai ajudar somente a nós, pois é uma saída individual e não coletiva, que não tem nenhuma proposta ou pretensão mais social.

É o que vem acontecendo com essa onda “coach”. Há coachs para absolutamente tudo e os preços cobrados pela mentoria são elevados. É possível que exista essas pessoas bons profissionais, que consigam de fato ajudar, mas a maioria está pegando carona no egoísmo das pessoas e no sucesso lucrativo que é possível gerar quando se vende expectativas e sonhos. São oferecidos “passos milagrosos para o sucesso e prosperidade”, é passada a ideia de que “basta querer e você consegue”, focando todos os esforços nas realizações pessoais. Ainda que os resultados fossem reais -e não são-, ainda assim essa retórica seria terrível para a sociedade. Isso porque ela não ajuda ninguém a pensar em saídas coletivas para que mais pessoas possam ser felizes; ela só está focada em você. E pior: te passa a ideia de que basta se esforçar para conseguir o que quer que seja, ignorando os aspectos políticos e sociais que envolvem a prosperidade de um país e quanta dificuldade alguém pode ter em arrumar um simples emprego. A psicologia positiva por trás desses discursos gera muita culpa, ansiedade e mais infelicidade.

“Tudo o que te grada, te ilude”
Leandro Karnal

É terrível, ilusório e mentiroso. E também não é sustentável, pois justamente quando entendemos, estudando, que o modelo que sustenta nossa sociedade é o capitalismo, a sociedade de mercado, não é difícil concluir que não há espaço no planeta para tantas pessoas extremamente bem sucedidas e ricas, nem muito menos recursos disponíveis. A economia quebraria em menos de 30 dias se todas as pessoas que decidem usar o poder da mente e fazer coach para ter sucesso, de fato, o alcançassem.

Ao contrário dessa cadeia de ilusão, quando pensamos em alternativas para o atual sistema, como, por exemplo, uma sociedade baseada em recursos, o espaço é criado, os recursos preservados e todos tem acesso a tudo, acabando com a lógica da escassez, exclusividade, ostentação e consumo. Hoje, a economia trabalha em favor do capital, quando deveria trabalhar em favor dos humanos.


Clique Aqui: 5 mitos sobre espiritualidade desmentidos


Transição planetária é política?

Quem já teve contato com o tema Transição Planetária sabe que é exatamente o momento que estamos vivendo, onde o planeta está transitando para uma dimensão mais elevada. Mas veja, não é o planeta que escolhe se movimentar no espaço, mas sim as almas encarnadas nele que elevam sua vibração, despertam, e assim empurram um projeto que antes era cármico, trevoso, para atuar em dimensões mais sutis. Quanto mais pessoas despertas, mais a Transição Planetária se concretiza.

É comum ouvirmos em torno do tema questões sobre a destruição do planeta. Toda essa transição inclusive poderia se dar através de uma grande catástrofe planetária, como a III Guerra Mundial, onde armas atômicas acabariam com a vida na Terra. E o que leva a uma guerra? Política.

“A política é constituída por homens sem ideais e sem grandeza”
Albert Camus

Outra hipótese é encontramos o fim dessa era através da destruição do planeta pela própria natureza, ou melhor, pela resposta da natureza à destruição que estamos impondo a ela. O aquecimento global é um exemplo: nossa forma de consumir e desmatar, ou seja, nosso estilo de vida em geral vem causando o derretimento das geleiras e alterações climáticas gravíssimas, que, por sua vez, estão gerando cada vez mais desastres naturais mortais. Basta a temperatura geral da Terra subir cerca de 1 grau e a vida será banida do planeta. E qual o mecanismo que proporciona tudo isso e que também pode impedir que tudo isso aconteça? Política.

É através dela que o planeta pode ser salvo. Quando mais pessoas conscientes, mas vamos despertar a política também, e fazer com que ela sirva ao nosso bem, não ao propósito individual e do capital. Ela deixará de ser um meio de ganhar dinheiro sem nenhuma ética, para ser o meio em si, a salvação. A política só é trevosa porque é feita por homens nas trevas. Por isso que a ideia de distanciamento da política é uma forma de nos alienar, de nos manter ignorantes, para que quem governa possa continuar a fazer seu trabalho. É preciso entender sobre a história, sobre política, sobre consequências, sobretudo o que diz respeito a sociedade, ao mesmo tempo em que descobrimos os mistérios da espiritualidade. É urgente despertar as pessoas para a importância de estudar sobre o mundo, para que ele possa ser salvo, possa melhorar.

Talvez, se pensarmos bem, numa transição a política ainda faz sentido, mas em um mundo já evoluído, a própria política se torna dispensável. Certamente não existe política no astral, nem relações de poder, hierarquias, opressão, más intenções. Ao menos não nas esferas evoluídas, já que as dimensões umbralinas são semelhantes a nossa realidade.

“A consequência de não pertencer a nenhum partido será a de que os incomodarei a todos”
Lord Byron

Acordar te a ver com informação e descoberta. Nada que te induz a alienação pode ser bom. Precisamos acordar a todos, e um dos caminhos é a política. Se não ela em si, ao menos o entendimento sobre ela. Não importa qual ideologia você siga, estude. Não se distancie de nada que trata da sua existência!


Saiba mais :

Guta Monteiro Guta Monteiro

Apaixonada por filosofia e literatura, é formada em publicidade e estuda espiritualidade desde criança. Buscadora incansável dos mistérios da vida, adora compartilhar ideias sobre Deus e as forças que movem o universo, para ajudar no seu próprio despertar e no encontro com poder divino que existe em nós. Usa a espiritualidade para crescer e ajudar a crescer aos demais e sonha com um mundo feito de igualdade, fraternidade, liberdade e amor.