.
Dor da separação: tomar a decisão é melhor ou pior?

Dor da separação: tomar a decisão é melhor ou pior?

A solidão pode ser uma assassina, como a ciência sugere, e como quase todos nós sabemos instintivamente. Antes de optar por uma separação, é sempre aconselhável  primeiro tentar crescer individualmente e de forma cooperativa com o parceiro para fazer o relacionamento funcionar. Conectar com as pessoas é uma das formas mais importantes de nos sentirmos felizes e, portanto, faz parte da vida. No entanto, aqueles que saltam de um relacionamento para outro parecem mais confusos e infelizes.

Ao tomar a decisão da separação, há quem seja julgado pelo tal mas há motivos que asseguram a sua decisão e que deve ser um pilar no seu dia a dia. Um bom exemplo é pensar que você poderia não estar em uma relação maravilhosa neste momento – ou eventualmente no futuro – se não tivesse conseguido se separar daquele que já amou antes.

Quem opta por deixar um relacionamento nunca fica feliz, ao contrário do que todos pensam, a carga da decisão pode ser infinita e a dor da separação ainda maior. Mas permanecer numa relação sem futuro ou sem soluções pode ser desastroso.

Todos nós já tivemos a oportunidade de conhecer relações que devem terminar – mais cedo ou mais tarde. Mesmo os terapeutas de casais aconselham a separação em casos de abuso, falta de liberdade pessoal e sofrimento generalizado. A vida é curta demais para ser infeliz.

O que acontece com quem toma a decisão e opta pela dor da separação?

Não há uma fórmula racional para evitar a dor da separação, mesmo que haja, nunca funcionaria muito bem como uma forma ideal de optar pela separação. Por exemplo, de acordo com um pesquisador de relacionamentos, é provável que você passe por um divórcio se sua proporção entre positivo e negativo estiver baixa. Um relacionamento positivo deve estar entre 80 a 20%. Então, se você observar seu relacionamento objetivamente e perceber que sua negatividade atinge 21%, você já está na zona de perigo.

Por mais útil que nosso conhecimento sobre a relação possa salvar um relacionamento – aprender a aceitar os 20% de imperfeições inevitáveis ​​e concentrar-se em aumentar as trocas positivas – é improvável que deixemos um parceiro com base apenas na razão.

Em vez disso, geralmente precisamos sentir que atingimos um limite. De acordo com algumas observações, aqui estão alguns passos que as pessoas tomam para definir essa sensação.


Clique Aqui: Divórcio e separação são pecados?


Passos para enfrentar a dor da separação

  • 1

    Garanta sua segurança física

    A sensação de ter atingido um limite pode ser evitada se sair for um risco muito alto. Então, primeiro precisamos ter a garantia de segurança física. As pessoas não saem quando são dependentes, sem poder e sem meios. É fisicamente perigoso deixar uma pessoa errática e controladora. Para sentir vontade de sair, os meios necessários e um plano de segurança precisam ser planejados. Seja deliberado e sábio se você estiver em risco.

  • 2

    Seja confiante

    A sensação de “basta” já pode ser evitada se nos sentirmos psicologicamente ameaçados com a dor da separação. Muitos relatam na psicoterapia que têm medo de arrependimento, isolamento social, estigma ou de serem inerentemente não amáveis. “Eu nunca vou conseguir encontrar outro parceiro do jeito que sou”, “Eu sou muito difícil” e “Eu não sou bom o suficiente para ninguém” são apenas alguns exemplos de como podemos nos sufocar e permanecer na prisão que é a dor da separação. Com a ajuda de amigos, familiares ou terapeutas, se torne seu melhor amigo, para que você possa ter confiança no momento em que alguém cruzar a linha.

  • 3

    Estabeleça um sistema de valores

    Todos nós precisamos ter padrões para sentir qualquer limite. Se alguma coisa acontecer, como pode haver uma decisão? Muitos jovens não pensam em seu sistema de valores, pois estão cegos por seu sentimento inicial de amor. Liste todos os valores psicológicos e espirituais que você conhece e classifique-os. Quão importante é para você a bondade, o respeito, o perdão, o carinho mútuo, empoderamento mútuo, inspiração mútua, sexo e afeição? O amor é a doação mútua de cuidado, aceitação, atenção e compreensão, mas o que exatamente isso significa para você? Lute com essas ideias e escreva tudo isso.

  • 4

    Distinguir o amor da necessidade

    Podemos amar alguém, mas esse alguém não atender nossas necessidades. É importante esclarecer por si mesmo o que você precisa e se elas podem ser atendidas. Se você obviamente é humano, você tem algumas “necessidades antigas” que não podem ser satisfeitas atualmente – ou por ninguém além de você mesmo. No entanto, não ouça aqueles que pensam que devemos ser sempre completamente autocontidos, autoconfiantes e vazios de qualquer expectativa; Uma vez que você possa declarar suas necessidades sem pedir desculpas, você terá a chance de perceber quando elas não estão sendo atendidas e ultrapassar a dor da separação.

  • 5

    Identifique violações aceitáveis

    Agora que você tem um sistema de valores e conhece suas necessidades, defina o que constitui uma violação inaceitável. Aqui está um cenário: uma mulher, acostumada a ser ignorada e mau tratada há anos, acha que o valor mais importante é a própria vida. De repente, seu parceiro perde o controle a tal ponto que sua vida é ameaçada. Nesse exato momento, ela decide: “Se eu puder sair dessa situação com vida, vou deixá-lo e deixá-lo para sempre”. E é isso que ela faz. Ela percebe mais tarde que seu padrão era muito baixo, mas mesmo o padrão mais baixo é melhor que nenhum.


Saiba mais :

WeMystic Brasil WeMystic Brasil

Acima de tudo, queremos ver você feliz e equilibrado. Compartilhamos informação e autoconhecimento. Acreditamos que o conteúdo pode te ajudar a ter uma vida mais equilibrada e tranquila.