.
Mudras Ayurvédicos: equilibrando seus ventos internos

Mudras Ayurvédicos: equilibrando seus ventos internos

Como já sabemos, a Ayurveda é um sistema médico muito complexo dedicado a restaurar e mantar o equilíbrio e a boa saúde, de modo que conta inclusive com a utilização de mudras, os chamados mudras ayurvédicos.

Ayurveda e os Mudras Ayurvédicos

É relativamente fácil compreender o fundamento dos mudras ayurvédicos, desde que se compreenda minimamente alguns dos fundamentos da Ayurveda e da energia conhecida como Prana.

Começando pelo Prana, essa é a energia vital universal presente dentro de todas as coisas vivas — a essência que manifesta a vida. Dentro de cada um de nós está o Prana em constante movimento. E ele flui de cinco maneiras diferentes e em áreas específicas do corpo, áreas chamadas Vayus ou “ventos” dentro de nós. No total, temos 5 Vayus.

Cada Vayu tem funções mentais, emocionais e físicas. Quando eles se movem como deveriam, estamos mentalmente focados, emocionalmente à vontade e o corpo físico está funcionando de maneira ideal.

A Ayurveda nos ensina a viver com hábitos mais harmônicos para nosso dosha principal, ou nosso dosha prakruti — o dosha de nascença ou dosha genético e metabólico —, o que inclui nossa nutrição, práticas respiratórias e exercícios mentais, físicos e espirituais.

Mas além de viver um estilo de vida mais apropriado para o nosso dosha, podemos incentivar um fluxo saudável de Prana através dos mudras ou gestos, mais comumente feitos com as mãos. Cada uma das pontas de nossos dedos está ligada a um elemento natural dentro de nós.

  • Fogo está no polegar;
  • Ar está no dedo indicador;
  • Espaço está no dedo médio;
  • Terra está no dedo anular;
  • E água está no dedo mindinho.

Quando unimos nossos dedos é como se estivéssemos criando um circuito elétrico dentro de nossos corpos, para aumentar o fluxo energético dos elementos correspondentes e ajudar os Vayus a se moverem o mais facilmente possível. Isso nos leva ao próximo tópico, os cinco Vayus.


Clique Aqui: Ayurveda e o Vegetarianismo — Consumo consciente e a ação do karma


Os cinco Vayus

Conhecer os cinco Vayus, a forma como o Prana age e circula, é uma parte essencial para compreender como os mudras ayurvédicos funcionam. Sendo assim, vamos tentar esclarecer cada um dos Vayus de forma simples.

  • 1

    Prana Vayu

    Nosso primeiro Vayu é o Prana Vayu. Ele é o movimento “para dentro e para frente” do Prana, localizado principalmente na garganta, tórax e abdome superior, encontrando seu lar primário no coração.

    Como podemos perceber, esse fluxo é a principal força de energia dentro de nós. Nos ajuda a respirar, nutrir e informar nossos corpos com uma sensação de abertura e plena receptividade por assim dizer. É aí também que surgem os problemas caso esse fluxo não esteja como se deve.

    Se houver bloqueios dentro do nosso Prana Vayu, ficaremos fechados a toda a gama de pensamentos e emoções humanas, podendo desevolver desequilíbrios mentais e físicos. Alguns desses desequilíbrios incluem confusão, ansiedade, insônia, asma e problemas cardíacos em geral.

    É também aqui que entra o uso dos mudras ayurvédicos. Há um mudra para lidar com problemas em seu Prana Vayu e voltar a harmonizar seu fluxo. Para executar o mudra, siga os seguintes passos:

    – Una os dedos mindinhos e anelares ao polegar e relaxe as mãos, com as palmas para cima e sobre seu colo.

  • 2

    Samana Vayu

    Samana Vayu é o fluxo prânico que consolida, assimila, atrai tudo e digere. Ele localiza-se no abdômen, a casa dos nossos principais órgãos digestivos. Se esse vento não for muito forte, nós não só teremos dificuldades em absorver nutrientes dos alimentos (e, portanto, sentiremos problemas digestivos), como também poderemos não entender nossas experiências.

    Isso tende a nos deixar presos internamente como se estivéssemos em uma bolha, lembrando que ela não nos afeta apenas com relação ao mundo exterior. Podemos nos tornar indiferentes tanto para o que está acontecendo ao redor como dentro de nós.

    Mais uma vez vamos ao mudra ayurvédico indicado para melhorar o fluxo do Samana Vayu. Para executá-lo, siga os seguintes passos:

    – Una todos os 5 dedos. Eles devem ficar relativamente todos juntos e repousados sobre seu colo.

  • 3

    Vyana Vayu

    Vyana Vayu é um vento que se move para fora, que move o Prana através dos canais de energia mais sutis dentro de nossos corpos, ou as Nadis (esses canais específicos e que atuam de forma mais passiva). A maior prevalência está justamente em nossos sistemas nervoso e circulatório.

    É uma rede coesa de movimentos energéticos, ligando todos os sistemas juntos e ajudando a governar nosso equilíbrio físico e estabilidade emocional. Acredita-se que ele também se mova em nossa aura ou campo de energia externo.

    A Ayuveda também provém um mudra indicado para melhorar o fluxo do Vyana Vayu, para isso siga os seguintes passos:

    – Junte as pontas do indicador e do dedo médio com o polegar e coloque em seu colo. Isso estimulará a circulação e o movimento de energia nos membros superiores e inferiores especialmente.

  • 4

    Udan Vayu

    Udan Vayu é o desenho ascendente de energia em nossa garganta e cabeça, permitindo a comunicação e a transformação espiritual, também governa nossa tireoide e paratireoide, e a velocidade de nosso metabolismo.

    Com um fluxo adequado de Udan Vayu, nossas palavras são claras e estamos receptivos para mudar. Quando ele não está indo bem, somos excessivamente tagarelas, com perda de palavras ou incapazes de processar ideias diferentes — uma verdadeira confusão de pensamentos. Além do mais, podemos desenvolver problemas com nossa tireoide.

    Como esperado, temos um mudra ayurvédico para equilibrar o Udan Vayu. As instruções para ele são as seguintes:

    – Junte as pontas dos dedos indicador, médio e anelar, com o dedo mindinho estendido para fora. Isso ativará e equilibrará o Prana em sua cabeça e garganta, aumentando seu foco mental e clareza geral.

  • 5

    Apana Vayu

    O Apana Vayu age como o oposto do Prana Vayu que vimos em primeiro lugar. Não é que ele se oponha, mas ele age com uma função oposta, já que comanda justamente a eliminação e a liberação de tudo o que aceitamos e de que não precisamos — sejam alimentos ou experiências.

    Se formos resumir ao mínimo, basta dizer que esse Vayu nos mantém mentalmente ancorados e emocionalmente seguros, bem como nosso sistema imunológico forte e livre de toxinas.

    Com tamanha importância, é muito interessante que saiba qual mudra pode atuar em seu equilíbrio. Para executar o mudra Apana Vayu, siga os seguintes passos:
    – Una as pontas do dedo médio e anular à ponta do polegar. Dobre o dedo indicador e coloque a ponta na base do polegar, aplicando pressão no dedo com o polegar.

    Isso estimula o fluxo descendente de Prana que é útil inclusive durante a TPM e todo o período menstrual. Qualquer excesso de dosha Vata no cólon também pode ser controlado com esse mudra. Note que o mudra deve ser evitado durante a gravidez, visto sua forma e local de atuação, entretanto ele pode ser muito útil durante o parto. É tudo uma questão de ocasião.

Dicas para realizar os mudras ayurvédicos

Vale mencionar que ao realizar cada mudra é preciso atender a alguns outros requisitos. Você deve manter a respiração estável e confortável, focando-a para dentro e fora do abdômen.

Segure cada mudra por 2 a 5 minutos ou mais, até 45 minutos. Eles também podem ser feitos em sequência, preferencialmente na ordem listada abaixo, ou separadamente conforme necessário.


Saiba mais :

 

Heloisa Von Ah Heloisa Von Ah

Designer e redatora, respira arte desde que se entende por gente. Apaixonada por gatos, literatura, cinema e músicas que já ninguém mais se lembra, vê na calmaria e na simplicidade o cenário ideal para se viver. Aprendeu de tudo um pouco, de instrumentos musicais a artes marciais; e não vê a hora de mais, já que a vida não pode parar