.
Incorporação: como incorporar?

Incorporação: como incorporar?

O trabalho de incorporação é muito importante para as religiões de matiz afro-brasileira e outras. Uma das expressões mais utilizadas durante estes processos é a “firmar a cabeça”. Dizemos isto quando queremos instigar o médium ou o incorporante a um estágio de maior concentração e entrega, onde o “incorporar” torna-se mais natural.

Incorporação: pontos que dificultam incorporar

Incorporar realmente pode ser uma tarefa difícil em certos casos, mas nunca pode nos deixar tão ansiosos ao ponto de criarmos um estigma negativo sobre ele. Um dos maiores problemas que vem acontecendo nestes últimos tempos é exatamente a ansiedade em relação à incorporação.

Os incorporantes ficam tão tensos e preocupados com o processo, que acabam desenvolvendo uma ansiedade. Isto pode ser perigoso pois é uma porta de entrada para outros problemas, como a depressão, o cansaço, o estresse e, até mesmo, uma somatização, transferindo todas estas energias negativas em doenças físicas, como dor de cabeça, queda de cabelo e náuseas.

Com isto, vemos que para uma boa incorporação, é necessário que estejamos em paz e que não nos façamos muita pressão. O processo de incorporar deve ser algo essencialmente espiritual, você precisa aprender a se doar, sem ter medo do que acontecerá, pois o espírito incorporador guardará o teu corpo de todo o mal.


Clique Aqui: 7 Sintomas de Incorporação: o que sente um mediúm de incorporação?


Transcendência: como a incorporação funciona?

Quando incorporamos, cada pessoa dirá que viveu esta experiência de tal maneira. O fato é que a incorporação pede uma conexão transcendental, algo que toca o divino, beira o sagrado. Este processo de transcendência não acontece em nosso corpo, mas sim em nosso espírito, recebendo uma entidade.

Há quem diga que precisamos apenas fazer oferendas aos nossos Orixás, ao nosso maior Guia, etc. Isto sim é muito bom e serve como forma de agradecimento a tudo o que estas entidades fazem por nós. Entretanto, não apenas isto funcionará. O principal, para que este processo dê certo e seja feito em qualidade, é que tenhamos foco, o foco é a base da incorporação.

No momento de incorporar, não podemos ficar pensando no que fazemos fazer amanhã, no que fazemos comer quando chegar em casa ou no medo e ansiedade de falhar. Temos apenas de dizer a nós mesmo: “firme a cabeça, vamos incorporar”. Quando focamos de tal maneira, tudo dá certo.

Este foco serve para não perdemos a atenção e mantermos um alvo em tudo aquilo que fazemos. Então, a incorporação será bem-sucedida, nós nos deixaremos levar através das ondas espirituais e as entidades tomarão o nosso corpo para um bem comum.


Preparos para a incorporação: como fazê-los?

Além do preparo momentâneo, com muito foco e limpeza de pensamentos, também existem preparos que devem ser feitos ao longo do dia, desde o seu começo. O Pai Rodrigo Queiroz, conhecido médium, nos diz que desde que acordamos devemos acender uma vela de linha de trabalho e oferecer oferendas à sua linha guia. Seja para um preto velho, para Exu, para um caboclo, etc.

Desde que acordamos, já é necessário um comprometimento para o que virá, geralmente, à noite.

Ele também nos relata algumas outras técnicas para incorporar muito usadas por alguns médiuns, como a meditação. Mas aqui não estamos dizendo que ficar o dia inteiro dizendo “Ommm” vai te ajudar no processo de meditação. Até porque meditação não é apenas isto.

A meditação que falamos aqui é aquela onde a nossa mente encontra um estado puro de relaxamento e clareza. Onde não ficamos pensando em problemas e os nossos movimentos, mesmo os corporais, são simples e suaves.

A meditação, além de ajudar para firmar a cabeça, também nos ajuda a deixarmo-nos ir, deixarmo-nos levar mais naturalmente, sem muita pressão ou ansiedade.


Clique Aqui: 8 verdades e mitos sobre a incorporação na Umbanda


Incorporação: e o uso de ervas?

O uso de ervas nos processos de incorporação também é muito recorrente pelo Brasil. Sejam eles através de chás, como o chá de ayahuasca, onde o médium procura uma saída natural do corpo, para melhor se concentrar sobre o espírito, ou como chás mais suaves, como o de manjericão e de hibisco.

Entretanto, mesmo com o grande poder dos chás, as ervas são majoritariamente usados em defumações. Você pode recolher ervas secas, como folhas de bananeira, hortelã, menta, arruda, etc. Juntando-as todas, acrescente algumas colheres de sal grosso e cravos da índia. E coloque todas numa brasa quente.

Esta fumaça da defumação ajuda no raciocínio do médium, purificando e preparando o seu corpo para “firmar a cabeça”. A defumação também é uma espécie de renovador, visto que ela tem papel tão intenso como a água benta para os católicos. Assim, não apenas o médium faz uso dela para os processos incorporantes, como também os umbandistas e povos do candomblé a sentem para uma melhor integração nos terreiros.


Saiba mais :

WeMystic Brasil WeMystic Brasil

Acima de tudo, queremos ver você feliz e equilibrado. Compartilhamos informação e autoconhecimento. Acreditamos que o conteúdo pode te ajudar a ter uma vida mais equilibrada e tranquila.