.
Ensaios fotográficos para mulheres empoderadas

Ensaios fotográficos para mulheres empoderadas

O empoderamento feminino tem se tornado cada vez mais em evidência. A busca por padrões de beleza impossíveis de serem alcançados tem feito com que muitas mulheres passem a aceitar seus defeitos, mas acima de tudo, suas qualidades. Enxergar o próprio corpo de maneira diferente tem ganhado destaque nos ensaios fotográficos.

Empoderamento das mulheres

Atualmente a busca pelo “corpo perfeito” tem caído por terra. A nudez que antes era vulgarizada passou a ser libertadora. Em uma busca pelo Instagram é possível encontrar centenas de perfis de fotografias femininas e o melhor, a maioria delas, são de fotógrafas. Isso mesmo, mulheres por trás das câmeras fotografando mulheres empoderadas.

A fotógrafa e arquiteta Yara Fonseca, acredita que a fotografia feminina consegue captar a intimidade e a liberdade das mulheres de uma maneira bem delicada. “Acredito que a fotografia cria um espaço favorável para que as pessoas possam se mostrar em sua versão mais verdadeira ou até mesmo naquela que pretendem ser. Deixemos então que a fotografia nos faça crescer, nos afirmar e até mesmo nos amar.”, comentou em seu site.

Para a fotógrafa baiana Brenda Matos, que criou o projeto #EuNua, é através do amor próprio que as mulheres podem se libertar. “O projeto nasceu de uma mulher e é destinado para todas as mulheres que já sofreram e ainda sofrem com os padrões de beleza e culturas de gênero impostos a nós.”, comentou durante uma entrevista para o site Prosa Livre.

Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por Laísa Eça (@repareaporra) a

Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por Laísa Eça (@repareaporra) a

Brenda divulga suas fotografias sempre acompanhadas dos depoimentos das mulheres fotografadas. “Eu nunca me enxerguei gorda ou feia, mas os comentários que as pessoas faziam sobre mim me faziam acreditar nisso todo o tempo”, “Eu não aceitava o meu cabelo, e mesmo minha mãe tentando me convencer que eles eram bonitos, a escola não me dizia isso, as capas das revistas não me diziam isso”, são histórias que Branda costuma escutar.

“Pensaram que eu era surrealista, mas nunca fui. Nunca pintei sonhos, só pintei a minha própria realidade”
Frida Kahlor

Essas histórias infelizmente são mais comuns do que se imagina, mas estes depoimentos de mulheres que aprenderam a se amar e principalmente se admirar, acabam inspirando outras a olharem para si própria e perceberem que não há nada de errado com elas. Aliás, o que está errado nessa história é a indústria da moda, que vem estampando as revistas com corpos que não existem, e ocupando as passarelas com corpos inatingíveis.

Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por Gabriela Rivoiro (@grivoiro) a

O uso das hashtags #AmeSeuCorpo, ‪#‎PareDeOdiarSeuCorpo‬, entre outras, tem ganhado cada vez mais espaço, e as fotografias femininas têm se mostrado uma ferramenta de grande importância para o empoderamento das mulheres. Basta perder a vergonha, se aceitar e se jogar!‬

Saiba mais :

WeMystic Brasil WeMystic Brasil

Acima de tudo, queremos ver você feliz e equilibrado. Compartilhamos informação e autoconhecimento. Acreditamos que o conteúdo pode te ajudar a ter uma vida mais equilibrada e tranquila.