.
Acupuntura na gravidez: conheça os benefícios e cuidados

Acupuntura na gravidez: conheça os benefícios e cuidados

É cada vez maior o surgimento de adeptos das medicinas alternativas como forma de obter mais qualidade de vida. No entanto, métodos como a acupuntura na gravidez ainda causam certas dúvidas e alguma hesitação por parte das futuras mamães. Mas será que toda essa cautela é mesmo necessária?

De acordo inclusive com profissionais da medicina tradicional, a acupuntura na gravidez não oferece risco algum para a saúde da mãe ou do bebê – muito pelo contrário. Desde que administrada por um acupunturista experiente, a técnica pode ser aplicada em todos os períodos da gestação.

Os benefícios da acupuntura na gravidez

De fato, muitos medicamentos (para não dizer a maioria deles) são proibidos durante a gestação, devido ao risco de aborto ou malformação do feto. No entanto, as futuras mamães precisam encontrar outras maneiras de se livrarem de dores, temores e desconfortos ao longo desse período. Para isso, a acupuntura na gravidez é amplamente recomendada, e oferece inúmeros benefícios para a mãe e o bebê.

Confira algumas das maiores vantagens que essas pequenas agulhas podem trazer ao longo de todo o período gestacional.


Clique Aqui: Acupuntura facial: rejuvenescedora, combate rugas e flacidez


Reduz os sintomas da gravidez

Logo nas primeiras semanas, é possível fazer uso da acupuntura para reduzir os sintomas mais comuns da gravidez. As sessões podem ser direcionadas para o tratamento de enjoos, náuseas e vômitos, que costumam acontecer durante o primeiro trimestre da gestação.

Após esse período, a acupuntura pode ser utilizada para reduzir dores e inchaços nas pernas, bem como desconfortos nas costas e mal funcionamento do intestino, por exemplo. Outra vantagem é a prevenção do aborto espontâneo, com sessões logo nas primeiras semanas.


Estabiliza os problemas emocionais

Durante a gravidez, são raras as mulheres que não apresentam desequilíbrios emocionais, como ansiedade e até mesmo a depressão em alguns momentos. No entanto, a acupuntura também é capaz de atenuar esses problemas.

De acordo com estudo divulgado pela Universidade Southern Medical, na China, as agulhas se mostraram mais eficazes que a administração de antidepressivos orais. Outro ponto positivo é o número infinitamente menor de efeitos colaterais.

Foi comprovado ainda que a acupuntura e a eletroacupuntura têm efeitos terapêuticos mais rápidos e eficazes, em casos de ansiedade e transtorno obsessivo compulsivo. No entanto, os estímulos elétricos são proibidos durante toda a gravidez.


Clique Aqui: Acupuntura no combate à enxaqueca: como funciona?


Ajuda o bebê a mudar de posição

Quando a mãe opta pelo parto normal, uma das maiores preocupações está na posição do bebê. Através da acupuntura, é possível ajudar a reverter situações onde o bebê está sentado ou na transversal, por exemplo.

É indicado que a mãe busque pelo tratamento a partir da 30ª semana, e dê continuidade até o momento próximo ao parto. São utilizadas técnicas com agulhas e também de moxabustão (bastões à base de calor) para estimular o reposicionamento do bebê.


Estimula o início do parto

Ao final da gestação, a mulher pode começar a se submeter às sessões com a intenção de dar início às contrações uterinas. Esse estímulo é indicado somente após a 38ª semana. As dores do parto também são reduzidas através do tratamento com acupuntura a partir desse período.


Clique Aqui: Como a acupuntura atua no combate à ansiedade?


Tranquiliza o bebê

Uma vez que a mãe foi tratada a partir de uma importante técnica de reequilíbrio energético, o bebê nasce também mais tranquilo. Essa característica faz com que o pequeno tenha melhores noites de sono, bem como uma grande redução nos episódios de cólicas.


Auxilia na amamentação

Após o nascimento, a amamentação se torna mais um desafio na vida das novas mamães. Se estiverem se sentindo ansiosas, nervosas ou cansadas com essa responsabilidade, e por isso a produção de leite estiver escassa, a acupuntura novamente pode agir no equilíbrio emocional.

Não somente para essas questões, muitas mulheres buscam a técnica chinesa para estimular ou regular a lactação, e até para tratar de mastites. Mães que desejam retomar a amamentação mesmo após o leite ter secado, podem usar da acupuntura para estimular a produção.


Clique Aqui: Acupuntura dói? Entenda o que acontece durante as sessões


Contraindicações da acupuntura na gravidez

Anteriormente, deixamos claro que a acupuntura na gravidez deve ser realizada apenas por um profissional experiente. Isso porque, durante os períodos que antecedem ao parto, não se devem utilizar alguns pontos de acupuntura em específico. São eles: do Bx31 ao 34, IG4, E36, BP2, BP3, BP6 e Shixuan (ponto extra).

Esses pontos são utilizados somente durante os últimos momentos da gestação, preferencialmente após a 38ª semana, pois estimulam o útero, induzindo ao aborto e ao parto devido a provocação de contrações uterinas.

O acupunturista deve ser bastante cuidadoso durante as sessões. Além de evitar os pontos mencionados, ele deverá se ater apenas aos pontos fundamentais para sanar as queixas da gestante. Nesses casos, não se pode ultrapassar 30 minutos de agulhamento.

Procure sempre fazer o tratamento junto a um profissional experiente no trato com gestantes, e mantenha seu obstetra informado sobre as sessões.


Saiba mais :

Heloisa Von Ah Heloisa Von Ah

Designer e redatora, respira arte desde que se entende por gente. Apaixonada por gatos, literatura, cinema e músicas que já ninguém mais se lembra, vê na calmaria e na simplicidade o cenário ideal para se viver. Aprendeu de tudo um pouco, de instrumentos musicais a artes marciais; e não vê a hora de mais, já que a vida não pode parar