.
5 desafios que todo médium enfrenta para desenvolver a mediunidade

5 desafios que todo médium enfrenta para desenvolver a mediunidade

Desenvolver a mediunidade é um assunto delicado, porém muito importante. Diariamente recebemos comentários e mensagens de pessoas que percebem os seus dons mediúnicos mas têm dificuldade em lidar com eles. Isso acontece por uma série de motivos, listamos abaixo 5 desafios que todo médium tem de lidar para conviver com a sua sensibilidade.

O desenvolvimento da mediunidade e os seus desafios

Qualquer habilidade que decidamos desenvolver envolve alguns desafios, vencer medos, enfrentar dificuldades e ter muita dedicação. Para desenvolver a mediunidade não é diferente. Muitos são os desafios que cada médium enfrenta e eles são muito particulares, mas existem alguns que são comuns à maioria deles. Veja abaixo.

  • 1

    Preciso estar ligado a alguma religião para desenvolver a mediunidade?

    Esse é apenas um mito. Normalmente as religiões que trabalham com a mediunidade são o caminho mais simples que um médium pode tomar para desenvolver o seu dom, pois lá irá encontrar pessoas que trabalham a mediunidade ou possuem a mediunidade já bem desenvolvida. Mmas não existe a necessidade de ter um vínculo religioso para isso, só precisa de prática, mente aberta, comprometimento com o seu dom e respeito com o próximo.

  • 2

    Posso confiar nas informações que leio na internet?

    Depende. A internet contém muitas informações importantes e de fácil acesso, mas lembre-se que na Web qualquer pessoa pode falar o que bem entender em seus sites e blogs, e as informações podem não ser averiguadas, conferidas e por vezes, nem verdadeiras. É preciso ter sempre cuidado com a fonte daquilo que se lê. A nossa sugestão é que busque informações em sites de confiança e mergulhe no universo do desenvolvimento mediúnico através dos livros. Os livros de Allan Kardec são verdadeiras bíblias para o médium – apesar de terem uma linguagem e formalidade típicas da época em que foram escritos, por isso não é uma leitura muito fácil. Mas vale a pena se esforçar para essa leitura. Há também escolas espirituais e grupos de discussão espírita que tratam da temática de forma aberta e comprometida. Pode ser uma boa ideia se juntar a esses grupos e discutir a mediunidade.

  • 3

    A negação da mediunidade pode afetar a sua saúde e bem-estar

    Quando tentar ignorar, negar ou bloquear a mediunidade – seja de forma voluntário ou involuntária – o nosso corpo se sente mal e pode ser alvo de doenças, desequilíbrio e mal-estar. O seu corpo espiritual tem esse dom e ele sente a necessidade de desenvolvê-lo, não adianta tentar estancar isso pois é como se você estivesse causando uma violência contra ele. Há também casos pessoas que são médium, que já desenvolveram sua mediunidade, mas que param de praticar ou estudar o dom e sentem os mesmos efeitos de quem nega a mediunidade: são tomados por um susto em relação à saúde. Ou seja, se não nos comprometermos, a capacidade de crescimento a partir da mediunidade pode se tornar um fardo. Mas a boa notícia é: quando decidimos desenvolver a capacidade mediúnica, abre-se um canal para a evolução, não é uma obrigação ruim ou que nos vai fazer perder tempo. É uma forma de nos aperfeiçoarmos como seres humanos e ajudarmos aqueles que estão ao nosso redor.

  • 4

    Enfrentar o preconceito

    O preconceito a respeito da mediunidade ainda é muito grande. Por mera falta de conhecimento, por crenças limitantes ou por se sustentar em ideias pré-concebidas muitas pessoas demonizam a mediunidade e incorporação. O medo do desconhecido também é algo que atrapalha o desenvolvimento mediúnico – e as histórias espantosas que se ouve sobre isso, juntamente com o imaginário popular torna as pessoas mais receosas do assunto. Mas o nosso conselho é: não tenha medo e não se deixe levar pelo preconceito, não se assuste ou horrorize com aquilo que você ainda não conhece. Ao aprofundar o seu conhecimento verá que a mediunidade é um dom divino que existe para ajudar as pessoas que vivem no plano físico com mensagens do plano espiritual.

  • 5

    A sintonia entre pensamentos, emoções e sentimentos é importante para o desenvolvimento do médium

    Como assim? Vivemos em um mundo com oscilações e mudanças constantes, é difícil manter os pensamentos, emoções e sentimentos em sintonia, em calma. Para conseguir desenvolver a mediunidade, é muito importante que o médium consiga ser sereno e permanecer em paz em meio ao caos – especialmente porque o caos afeta muito mais quem tem uma sensibilidade aflorada. Quando o médium consegue alcançar esse equilíbrio, fica mais fácil ter consciência e ter poder de desenvolvimento do seu dom e da sua missão.

    Quando o médium consegue aceitar sua missão, perceber seu propósito de vida e ter serenidade de pensamentos, emoções e sentimentos, as suas habilidades mediúnicas fluem naturalmente.


Clique Aqui: Será que você é um médium sensitivo?


Como vencer esses desafios?

É um caminho longo, mas que pode ser proveitoso e prazeroso. Não existe uma receita de bolo a seguir, cada médium enfrenta seu próprio processo, mas as dicas abaixo podem ajudar você:

  • Informe-se com conhecimentos verdadeiros e imparciais sobre mediunidade
  • Compreenda que cada ser humano vem ao mundo com uma missão, e que você tem a sua.
  • Estude a realidade extrafísica
  • Estude a Lei da Atração
  • Procure compreender a influência dos seus sentimentos, pensamentos e emoções em sua vida cotidiana e no desenvolvimento da sua mediunidade
  • Procure desenvolver os conceitos e valores de amor, paciência, fé e confiança
  • Procure desenvolver os dons de perdoar, do desapego, de ser altruísta e compreender a missão da sua alma.
  • Procure aceitar, amar e ter orgulho do seu dom mediúnico.

Saiba mais :

Ana Luiza Fernandes Ana Luiza Fernandes

Jornalista, mestre em Ciências da Comunicação e escolheu esse destino por amar ler e escrever desde criança. Vive conectada à internet, não perde uma novidade do cinema, da música e da literatura e busca constantemente a evolução pessoal e espiritual