.
Salmo 12 – o salmo que pede proteção contra as más línguas

Salmo 12 – o salmo que pede proteção contra as más línguas

O Salmo 12 é um salmo de lamentação que se concentra no poder maligno das palavras dos pecadores. O salmista mostra o quanto os ímpios podem causar o mal com sua boca perversa, mas garante que o poder das palavras puras de Deus pode salvar.

Encontre as respostas para os seus pedidos!

Aceite a ajuda do seu Anjo, viva melhor.

Quero a Ajuda Espiritual!

O lamento do Salmo 12 –  proteção contra a difamação

Salmo 12

Leia as palavras sagradas abaixo com muita fé:

  1. Salva-nos, Senhor, pois não existe mais o piedoso; os fiéis desapareceram dentre os filhos dos homens.
  2. Cada um fala com falsidade ao seu próximo; falam com lábios lisonjeiros e coração dobre.
  3. Corte o Senhor todos os lábios lisonjeiros e a língua que fala soberbamente,
  4. os que dizem: Com a nossa língua prevaleceremos; os nossos lábios a nós nos pertecem; quem sobre nós é senhor?
  5. Por causa da opressão dos pobres, e do gemido dos necessitados, levantar-me-ei agora, diz o Senhor; porei em segurança quem por ela suspira.
  6. As palavras do Senhor são palavras puras, como prata refinada numa fornalha de barro, purificada sete vezes.
  7. Guarda-nos, ó Senhor; desta geração defende-nos para sempre.
  8. Os ímpios andam por toda parte, quando a vileza se exalta entre os filhos dos homens.

(Salmos 12:1-8)


Leia também: Salmo 10 – pedido desesperado pela punição dos injustos


Interpretação do Salmo 12

Leia as palavras do Salmo atribuído a Davi:

Versículo 1 e 2 – os fiéis desapareceram

Nestes versos, o salmista parece descrente que ainda existem pessoas fiéis e honestas no mundo. Onde ele olha, há falsidade, palavras torpes, pessoas que se enganam. Ele acusa os ímpios de usar palavras para destruir e magoar os outros.


Versículo 3 e 4 – corte todos os lábios lisonjeiros

Nestes versos, ele pede pela justiça divina. Clama que Deus puna aqueles que enfrentam o poder soberano, que zombam do Pai, como se não devessem honra e respeito ao criador. Eles creem que podem falar o que bem entenderem, inclusive de Deus, e o salmista pede que Deus os puna.


Versículo 5 e 6 – as palavras do Senhor são puras

Nestes trechos do salmo 12, o salmista mostra que ele foi reerguido mesmo diante de toda a dor e opressão que passou, graças à palavra divina. Deus ouviu suas preces e o colocou em segurança. Depois, ele realça a pureza da palavra de Deus, usando a analogia de uma prata reinada e purificada.


Versículo 7 e 8 – Guardai-nos Senhor

Nos versos finais, ele pede a proteção de Deus das más línguas dos ímpios. Pede que defenda os fracos e pobres dessa geração que está em toda parte. Reforça a crença em cristo e pede que ele seja seu protetor contra toda a difamação.


Encontre aqui a orientação espiritual que procura!

Saiba mais :

Ana Luiza Fernandes Ana Luiza Fernandes

Jornalista, mestre em Ciências da Comunicação e escolheu esse destino por amar ler e escrever desde criança. Vive conectada à internet, não perde uma novidade do cinema, da música e da literatura e busca constantemente a evolução pessoal e espiritual

 

Faça aqui a sua Consulta Online Personalizada: