.
Milagres de Santa Bernadete e seu corpo incorruptível

Milagres de Santa Bernadete e seu corpo incorruptível

Mistério ou coincidência? Aparentemente, milagres como o de Santa Bernadete de Lourdes não acontecem com qualquer pessoa. Quando morremos, o esperado é que nosso corpo se decomponha, apresente odor e sinais do efeito da passagem do tempo. Porém, casos como o de Santa Bernadete de Lourdes acontecem com pessoas que dedicaram sua vida ao mundo espiritual, mantiveram pensamentos elevados, uma vida justa e uma alimentação balanceada.

“As pessoas querem saber o segredo do meu Sorriso, da minha Força, da minha Fé… E querem saber de onde eu tiro as palavras, de onde eu tiro tanto Amor, onde que achei a receita pra aceitar os problemas com Felicidade. Então eu respondo: – Em Deus!”
Padre Fábio de Melo

Será que aquilo que pensamos, vivemos e vibramos influencia nosso corpo físico mesmo após a morte? Como se dá essa ligação? São perguntas que surgem quando nos deparamos com o impossível, com corpos mortos que permanecem “vivos” mesmo com o passar dos anos. Eles são a prova “viva”, literalmente, de que tudo é possível.

Quem foi Santa Bernadete de Lourdes

Marie-Bernard Soubirous nasceu na França, em 1844, em uma pequena comunidade chamada Lourdes. De origem simples, Bernadete era filha de um trabalhador do campo que ganhava a vida moendo cereais. Aliás, o moinho é seu local de nascimento e onde Bernadete viveu até os dez anos. Devido às dificuldades da família de 9 filhos, Bernadete já na infância começa a trabalhar conduzindo os animais e também como criada doméstica.

Após deixarem o moinho, a família se mudou para uma antiga prisão, local totalmente insalubre e praticamente inabitável, o que impactou diretamente a saúde da menina.
Ela cresceu fraca e debilitada pela cólera e asma, impedindo Bernadete de frequentar a escola e atrasando seu desenvolvimento cognitivo. Bernadete tinha muita dificuldade de aprendizado e permaneceu analfabeta até os 14 anos. Nem mesmo a catequese lhe foi permitida, devido à dificuldade que ela tinha em ler e escrever.

Porém, aos 14 anos, a vida de Bernadete mudaria para sempre, transformando a menina em santa milagreira posteriormente reconhecida e canonizada pela igreja católica.


As visões de Bernadete de Lourdes

Quando estava com 14 anos, na comunidade de Lourdes, em 11 de fevereiro de 1958 Bernadete estava em uma gruta quando uma senhora envolta em luz apareceu a ela pela primeira vez. Alguns encontros aconteceram até que Bernadete perguntasse a identidade da senhora, que respondeu dizendo “sou a Imaculada Conceição”. Segundo a tradição católica, a Imaculada Conceição é a concepção da Virgem Maria sem “mancha” do pecado original. Ou seja, era a Virgem Maria que se apresentava a ela, passando conhecimento e também uma grande missão.

“O mal que cometemos com malícia cai sobre nós. Eis a felicidade e as vantagens que nos procuram a obra do pecado. Ó meu Deus, perdoai-nos e fazei-nos misericórdia”
Bernadete de Lourdes

Para sorte de Bernadete, sua ignorância em relação às letras lhe rendeu credibilidade: o padre para quem Bernadete contou suas visões, sabendo que ela não tinha nenhum conhecimento sobre os dogmas católicos, jamais questionou a menina tendo absoluta certeza de que ela não estava mentindo. Aliás, esse dogma específico da Imaculada Conceição havia sido promulgado pelo papa pouco tempo antes da visão de Bernadete, sendo praticamente impossível que ela já tivesse ouvido falar nesse dogma.

A cúpula da igreja foi acionada começava a tratar do caso, quando curas inexplicáveis começaram a acontecer na gruta. Dois acontecimentos marcam o início dos eventos inacreditáveis que fazem parte da biografia de Bernadete: em 25 de fevereiro de 1858, na presença de uma multidão, surgiu sob as mãos de Bernadete uma fonte de águas muito mansas (que jorra água até os dias de hoje), onde muitas pessoas foram curadas de forma incompreensível.

Em abril do mesmo ano, tendo se espalhado que Bernadete iria à Gruta, cerca de 1200 pessoas já a aguardavam quando ela chegou. Todas essas pessoas presenciaram o que ficou conhecido como o Milagre do Círio, fenômeno que ocorreu por volta de 15 minutos. Bernadete juntou as mãos sobre o fogo de uma vela, como para protegê-lo do vento, e a chama da vela encostava nas mãos de Bernadete e saía entre seus dedos, sem queimar sua pele. Entre as pessoas que lá estavam, encontrava-se o Dr. Douzous, um médico de Lourdes famoso na época e muito conhecido por sua ciência e filantropia, mas que não era frequentador da Igreja. Após o fim do êxtase da menina, o médico verificou que ela não tinha sofrido qualquer queimadura e passou a ser testemunha da autenticidade dos milagres de Bernadete.

Mais tarde, Bernadete seria responsável pela cura de um bebê tuberculoso, uma deficiente física e por fazer andar novamente uma criança que enfrentava grave enfermidade que a impedia de andar, milagres que foram atestados pela Santa Sé e que renderam a Bernadete a canonização em 8 de Dezembro de 1933 na festa da Imaculada Conceição.


Clique Aqui: O Milagre do Sol em Fátima – um pilar para a sua fé!


O corpo incorrupto de Santa Bernadete de Lourdes

A incorruptibilidade do corpo de Santa Bernadete é um dos casos mais assombrosos e estudados pela medicina. Desde 3 de agosto de 1925, o corpo intacto da Santa Bernadete de Lourdes se encontra exposto numa urna de cristal na capela do convento de Saint-Gildard.

Antes da decisão da exposição do corpo, houveram 3 exumações da santa que chocaram não só a ciência como também os fiéis: ele se encontrava sempre intacto, como se estivesse petrificado, conforme foi reconhecido pelos médicos juramentados e pelas autoridades civis e religiosas em nas três ocasiões.

A primeira exumação ocorreu em 22 de setembro de 1909, trinta anos após o velório de Bernadete. Seu cadáver foi exumado pela primeira vez e o corpo encontrado intacto. O caixão foi aberto na presença do Bispo e do Prefeito de Nevers, seus principais representantes e diversos religiosos. Não foi notado nenhum odor ou sinal de decomposição. O corpo estava vestido com o Hábito da Ordem a que pertencia Bernadete e estava úmido, deixando descobertos somente o rosto, mãos e antebraços. A cabeça havia se inclinado para a esquerda e ostentava uma face lânguida e branca. A boca levemente aberta e se podia ver os dentes, também em perfeito estado. As mãos, cruzadas sobre o peito e segurando um terço, estavam perfeitamente preservadas, bem como suas unhas. Até mesmo as veias eram visíveis.

“A força mais potente do universo é a fé”
Madre Teresa de Calcutá

A segunda exumação ocorreu em 1919, dez anos depois da primeira exumação. A situação encontrada foi exatamente a mesma da primeira exumação. Por fim, a 18 de novembro de 1923, Sua Santidade o Papa Pio XI assinou decreto reconhecendo a heroicidade das virtudes de Bernadete; após a beatificação da Santa, foi efetivada uma terceira exumação em 12 de junho de 1925, com o objetivo de retirar “relíquias” de seu corpo. Novamente o corpo encontrava-se totalmente preservado, um fenômeno que não é natural. Aliás, é impossível segundo a própria ciência, que um corpo sem vida não se decomponha e mantenha a mesma aparência do dia de sua morte.

Após a última exumação, foi confeccionada a urna de cristal que guarda o corpo de Santa Bernadete. A urna se encontra hoje numa bela capela fora da clausura para que possa ser visitada pelos fiéis, que procuram o local para ver com seus próprios olhos o milagre. Olhar para o corpo de Santa Bernadete de Lourdes nos dá a dimensão do impossível, de que nada sabemos sobre o oculto e que nossa ciência é extremamente limitada diante do poder do mundo espiritual. Certamente esse é o motivo pelo qual se mantém preservado.
Ensinamentos de Santa Bernadete de Lourdes

Santa Bernadete de Lourdes deixou uma linda mensagem, baseada nas orientações recebidas durante as aparições da Virgem. Apesar de simples, são lições que guardam a essência da vida e a necessidade de honrarmos o mundo espiritual em nossas atitudes ao longo da vida.

  • 1

    Conversão dos pecadores

    Na sexta aparição, que aconteceu em 21 de fevereiro 1858, a Virgem surgiu para Bernadete e desse encontro a menina escreveu: “esta rainha misericordiosa me disse também para rezar pela conversão dos pecadores. Ela me repetiu várias vezes essas mesmas palavras”.

    Quando olhamos para o mundo atual, podemos identificar o pecado nele e quantas vidas são tragicamente perdidas em função da ignorância de alma que alguns apresentam. Ávidos pelo poder e por dinheiro, seja na política, na igreja ou na vida em geral, existe quem não meça esforços para alcançar a fama e o reconhecimento social de seu lugar de poder. Muitas guerras e muitas mortes poderiam ser evitadas se essas almas estivessem despertas e conscientes da existência do mundo espiritual. Quanto mais pessoas se unirem em torno do poder da oração e da energia que ela movimenta, mais chances de uma rede positiva se formar e atingir o coração dos ignorantes.

  • 2

    Outro mundo

    A santa escreveu uma revelação surpreendente da Virgem: “disse-me também que não me prometia tornar-me feliz neste mundo, mas no outro”. Dessa fala podemos retirar a ideia de que nossa casa, nossa verdadeira origem, não é material. Essa vida que vivemos e que às vezes seduz nossa racionalidade a pensar que ela é tudo o que existe, é, na verdade, passageira, curta e transitória.

    Aprendemos muito também através da afirmação de que “não lhe prometo felicidade neste mundo, mas sim no outro”. A ideia infantil de que Deus nos criou para sermos felizes e satisfeitos é totalmente equivocada e tem origem em consciências egoístas, incapazes de observar o mundo como ele é, cheio de injustiças, maldade e perversidade oriundas de consciências menos evoluídas. E é assim que deve ser, já que viemos aqui para aprender, para crescermos enquanto espírito e a felicidade não é um elemento capaz de promover tal crescimento. Não viemos para sermos felizes, mas sim para aprender.

“A fé ilumina nosso coração e nos faz enxergar o positivo mesmo quando parece não existir nada de bom”
Desconhecido

  • 3

    Quando uma tragédia acomete a família de Bernadete, ela faz a revelação de que somos todos uma grande família espiritual: “somos mais numerosos no céu”. Ela escreve essa frase em uma carta, enviada para sua irmã Maria, que já tinha perdido três filhos e havia perdido a quarta e última filha. Suas palavras buscavam levar consolo à irmã, através da ideia de que não só nos encontramos todos no mundo espiritual como também que os laços que criamos são indestrutíveis, especialmente aqueles criados através da maternidade.

    Bernadete não somente transmitiu a mensagem da Imaculada Conceição, mas também assumiu heroicamente uma vida de constante oração e penitência pela salvação dos pecadores. Santa Bernadete de Lourdes se fez religiosa da Congregação das Irmãs da Caridade, no convento de Saint-Gildard, na cidade de Nevers, na França, onde passou os últimos anos de vida.

“É certo que a prova é bem rude. Mas quando olho as coisas com os olhos da fé, não posso me impedir de exclamar: feliz mãe que envia anjos ao Céu, que rezarão por ti e por toda a tua família. Eles serão nossos protetores junto de Nosso Senhor e da Santíssima Virgem”
Bernadete de Lourdes

É realmente uma história incrível a biografia de Bernadete e o milagre de seu corpo incorruptível confirma não só as visões da santa, como os milagres que realizou. O privilégio que temos em observar a sobrenaturalidade do corpo da santa, serve como ferramenta de cura aos corações aflitos que buscam por um sentido na vida, e que, muitas vezes, se vêem vencidos pelo ceticismo e engolidos pelas terríveis injustiças e inversão de valores do mundo.


Saiba mais :

Guta Monteiro Guta Monteiro

Apaixonada por filosofia e literatura, é formada em publicidade e estuda espiritualidade desde criança. Buscadora incansável dos mistérios da vida, adora compartilhar ideias sobre Deus e as forças que movem o universo, para ajudar no seu próprio despertar e no encontro com poder divino que existe em nós. Usa a espiritualidade para crescer e ajudar a crescer aos demais e sonha com um mundo feito de igualdade, fraternidade, liberdade e amor.