.
Vórtices de energia: Linhas Ley e os chakras da Terra

Vórtices de energia: Linhas Ley e os chakras da Terra

Quando pensamos em chakras, logo nos vem à cabeça o corpo humano e os principais centros de energia que conhecemos através da tradição hindu. Mas o planeta, como o organismo vivo que é, também possui seus chakras que ajudam a Terra a manter seu equilíbrio.

Para falar sobre os chakras é preciso falar sobre energia. Energia é tudo o que vibra: a luz, o som, os raios do Sol, a água. Tudo o que existe no Universo é composto por energia e, portanto, vibra e troca informações com o todo. Assim como tudo que existe possui uma emanação energética, tudo o que vive precisa de energia vital (ou prana) para se manter vivo. E essa troca energética, essa conexão com o espiritual é feita pelos vórtices de energia, tanto nos seres humanos quanto no planeta Terra.

“Se você pode conquistar sua mente, você pode conquistar o mundo inteiro”
Sri Sri Ravi Shankar

Alguns desses locais podem ser visitados e essa energia intensa aproveitada por quem procura uma conexão maior com a natureza e o mundo espiritual. Vamos conhecer os chakras da Terra?

Linhas Ley e os chakras do planeta

Os chakras da Terra são locais físicos, carregados de energia que ajudam a manter o planeta e toda a vida em equilíbrio. Pouco se fala sobre esses lugares, e, dependendo da linha esotérica, você vai encontrar informações diferentes sobre o tema. Alguns afirmam que só existem 7 chakras no planeta, enquanto outros garantem que são mais de 150 os vórtices de energia espalhados na superfície e também dentro do planeta Terra.

Se nos basearmos no corpo humano, veremos que essa diversidade faz sentido. Temos 7 chakras principais, mas são muitos os vórtices de energia que possuímos. Por milênios, a Terra foi reconhecida como doadora da vida, como “Mãe Terra”, um organismo inteiramente conectado e vivo. Então, como somos fruto dessa vida, ou adaptados para viver sob essas condições, faz sentido que os sete principais chakras da Terra correspondam aos 7 chakras humanos principais.

“Se você pode tornar-se apenas seu próprio ser, se você pode florescer dentro de sua natureza intrínseca, só então você poderá ter bem-aventurança”
Osho

Nossos chakras mais conhecidos se estendem da base da espinha até a coroa da cabeça e estão conectados através de uma corrente de poder que flui entre eles. Da mesma forma, os vórtices de energia da Terra estão conectados através de uma rede de Linhas Ley de que criam um campo de energia poderoso e proporcionam uma interconectividade entre o planeta, a vida que nele habita e o mundo espiritual.

O que são as Linhas Ley

Estamos conectados à Terra através da sutil corrente elétrica que percorre todo o planeta. Essas correntes elétricas são conhecidas como “Linhas Ley” e são quase como as veias da Mãe Terra. Assim como temos veias que fluem para dentro e para fora do coração, a Terra tem as Linhas Ley, que são linhas de energia que envolvem o planeta de uma maneira similar a uma fita de DNA.

Onde se cruzam as Linhas Ley acredita-se que sejam pontos altos de energia ou altas concentrações de carga elétrica, conhecidos como chakras ou vórtices de energia.
Também se diz que estas Linhas Ley são capazes de extrair informação ou energia destes pontos vibracionais mais elevados e transportá-las pelo mundo, espalhando conhecimento e sabedoria a todos os habitantes. Essa seria uma das explicações para o fato de que descobertas marcantes e alguns saltos evolutivos da história humana tenham acontecido simultaneamente ao redor do globo, como se houvesse contato e troca de informação entre as civilizações antigas.

“Seja tão simples como você pode ser, você ficará surpreso ao ver o quão simples e feliz sua vida pode se tornar”
Paramahansa Yogananda

Esses pontos de interseção ao longo das Linhas Ley coincidem também com alguns dos mais sagrados templos e monumentos do mundo, incluindo as Pirâmides do Egito, Machu Picchu, Stonehenge e Angkor Wat. Quando você olha para civilizações avançadas como a dos antigos egípcios, fica claro que elas pareciam entender a energia e o poder das Linhas Ley, devido ao alinhamento de algumas construções com esse traçado energético.

Na verdade, a maioria das culturas antigas em todo o mundo parece ter alguma compreensão das Linhas Ley. Na China, elas são conhecidas como Linhas Dragão. Na América do Sul, os xamãs se referiam a elas como linhas espirituais, na Austrália os antigos aborígenes as chamavam de linhas de sonhos e no ocidente elas eram chamadas de Linhas Ley. O que também é interessante notar é que onde as Linhas Ley se encontram, existe também um alinhamento perfeito entre as constelações astrológicas.


Clique Aqui: Chakras: tudo sobre os 7 centros de energia


Onde ficam os 7 chakras do planeta Terra

Existem sete principais locais conhecidos pelo espiritualismo como pontos de alta energia na Terra.

  • 1

    Monte Shasta: o primeiro chakra (raiz)

    Localizado nos Estados Unidos, o Monte Shasta é um monte que fica na Cordilheira das Cascatas, ao norte do estado norte-americano da Califórnia. Com 4322 m de altitude e 2994 m de proeminência topográfica, é um pico considerado ultraproeminente.

    A exuberância dessa formação natural é tão impactante, que desde muitos anos o misticismo envolve a cordilheira e muitas histórias são contadas sobre o local. Segundo a mitologia dos povos locais, as grandes geleiras da montanha são “as marcas dos pés de Deus quando um dia veio a Terra”. Para alguns ameríndios, o Monte Shasta é habitado pelo espírito do chefe Skell, que desceu dos céus até ao topo da montanha. Foi também no Shasta, em agosto de 1930, que o grande mestre Saint Germain contatou Guy Ballard, fundador do Movimento “Eu Sou”, braço da Sociedade Teosófica de Madame Blavatsky e do Barão Olcott.

    Também é muito difundido o conceito de que o Monte Shasta corresponde a “base” de energia do planeta, a fonte primordial da força de vida universal que regula o fluxo de energia da Terra.

  • 2

    Lago Titicaca: o segundo chakra (sacral)

    Essa imensidão aquática de beleza paralizante fica na região dos Andes, na fronteira entre o Peru e a Bolívia. Em volume de água, é o maior lago da América do Sul.
    O lago Titicaca é considerado o lago navegável mais alto do mundo, visto que sua superfície está a 3821 metros acima do nível do mar. Segundo a lenda andina, foi nas águas do Titicaca que nasceu a civilização inca, quando o “deus Sol” instruiu seus filhos para procurarem um local ideal para seu povo.
    Muitas vezes representado por imagens de serpentes, o lago Titicaca está localizado no meio de várias Linhas Leyi, representando o chakra onde a energia primária toma forma e amadurece.

  • 3

    Ayers Rock: o terceiro chakra (plexo solar)

    Também conhecido como Uluru, é um monólito situado no norte da área central da Austrália, no Parque Nacional de Uluru-Kata Tjuta. Tem mais de 318 m de altura, 8 km de circunferência e se estende em 2,5 km de profundidade no solo. O local é sagrado aos aborígenes e tem inúmeras fendas, cisternas, cavernas rochosas e pinturas antigas, alvo de muitos historiadores ao longo dos anos.

    Como é considerado sagrado pelos aborígenes, muitas pessoas que visitam o local levam um pedaço de rocha como lembrança ou na intenção de trazer para perto de si essa tremenda energia. Porém, há que afirme que os aborígenes o protegem através de uma maldição, e quem se apodera de qualquer parte do monolito será abatido por muitos infortúnios. Há várias histórias de turistas que levaram para casa um pedaço do monte e devolveram a lembrança, alegando que estava trazendo muito azar, pois, foram amaldiçoados por levar uma parte do monumento. O parque nacional australiano, responsável pela administração, diz receber pelo menos um pacote por dia, enviado de várias partes do mundo com uma amostra e um pedido de desculpas.

    Ayers Rock é o representante do plexo emocional, retratado como o “cordão umbilical” que fornece energia a todos os seres vivos.

  • 4

    Stonehenge, Shaftesbury, Dorset e Glastonbury: o quarto chakra (cardíaco)

    Shaftesbury, Dorset e Glastonbury são locais muito antigos a sudeste da Inglaterra, com uma energia fortíssima e que anima lendas e a literatura inglesa há muitos anos. Glastonbury é particularmente notável pelos mitos e lendas a respeito da colina próxima dali, a Glastonbury Tor, que reina solitária em meio ao resto completamente liso da paisagem de Somerset Levels. Esses mitos são a respeito de José de Arimatéia, Santo Graal e do Rei Artur.
    Stonehenge, bem como as áreas circundantes de Glastonbury, Somerset, Shaftesbury e Dorset, formam o chakra do coração da Mãe Terra. Onde Stonehenge é construído é o ponto mais forte de toda essa energia.

  • 5

    As Grandes Pirâmides: o quinto chakra (laríngeo)

    Posicionado entre o Monte. Sinai e Mt. Azeitonas, este chakra é a “voz da Terra”. Nada mais simbólico, né? Essas imensas edificações gritam ao mundo uma inteligência humana misteriosa, contatos diretos com deuses e toda uma cultura que nos fascina e causa reflexão até hoje.

    O Chakra Laríngeo da Mãe Terra inclui a área da Grande Pirâmide, o Monte Sinai e o Monte das Oliveiras, que está localizado em Jerusalém – é um dos maiores centros de energia da Mãe Terra, o que indica sua importância neste momento particular de nossa história. É também o único centro de energia que não está ligado à Linha Ley Masculina ou Feminina do Grande Dragão.

“Todo mundo tem medo do tempo; mas o tempo tem medo das pirâmides”
Ditado egípcio

  • 6

    Ativação de Aeon: o sexto chakra (frontal)

    Esse é, dos 7 pontos principais de energia da Terra, o único que não está definitivamente estabelecido em algum local. Atualmente localizada em Glastonbury, na Inglaterra, trata-se de local transitório que abre portais de energia e facilita o fluxo de energia dimensional de um reino para outro. Semelhante à função da glândula pineal humana, este chakra terrestre está fora das linha ley e só permanece em um local por aproximadamente 200 anos.

  • 7

    Monte Kailash: o sétimo chakra (coronário)

    O monte Kailash fica no Tibet, na região dos Himalaias, considerado como um dos lugares mais sagrados para os hindus e budistas. Situado em Ngari, junto aos lagos Manasarovar e do Rakshasta, Kailash é a nascente de quatro dos maiores rios da Ásia: o Ganges, o rio Bramaputra, o rio Indo e o rio Sutlej.
    Para os budistas, Kailash é o centro do universo e cada budista aspira em dar-lhe a volta. Já para os hindus, o monte é a morada de Shiva. Segundo lendas locais, nas proximidades da montanha existem lugares santos onde “as pedras rezam”.

    O monte Kailash além de sagrado, é o centro do chakra da coroa da Terra e nos ajuda a encontrar a jornada espiritual e se conectar com o divino. Quem já esteve por lá, garante que o impacto energético é imenso e uma meditação feita neste local pode transformar uma vida para sempre.


Saiba mais :

Guta Monteiro Guta Monteiro

Apaixonada por filosofia e literatura, é formada em publicidade e estuda espiritualidade desde criança. Buscadora incansável dos mistérios da vida, adora compartilhar ideias sobre Deus e as forças que movem o universo, para ajudar no seu próprio despertar e no encontro com poder divino que existe em nós. Usa a espiritualidade para crescer e ajudar a crescer aos demais e sonha com um mundo feito de igualdade, fraternidade, liberdade e amor.