.
Sinos dos ventos – conheça sua origem e poder de cura

Sinos dos ventos – conheça sua origem e poder de cura

Os sinos dos ventos são objetos muito charmosos e relaxantes para a maior parte das pessoas. Eles podem ser feitos com diversos materiais como conchas, bambus, metais, pedras, entre outros. Conheça mais sobre a história dos sinos dos ventos e o seu poder de cura.

Afaste as más energias!
Afaste as más energias da sua vida!
Atraia bons fluidos! Liberte-se das más energias e vibrações negativas que possam perturbar você. Não temos a solução dos problemas, mas podemos ajudar na descoberta para o caminho melhor. Saber mais >>

Um pouco sobre a história dos sinos dos ventos

Os sinos dos ventos são muito antigos, especialmente aqueles confeccionados com bambus. Eles existem desde a pré-história e são encontrados em toda a Ásia. Pendurar este objeto e vê-lo balançando é um prazer ancestral. Inicialmente, ele era encontrado  no telhado de templos budistas. Os templos tinham o costume de pendurar centenas e até milhares de sinos para criar uma verdadeira orquestra das correntes de vento. Já os sinos confeccionados com metal, tornaram-se importantes objetos dos cultos religiosos chineses. Isso ocorreu aproximadamente 1000 a.C., período em que eles dominaram a técnica de fundir o ferro.

Depois disso, cerca de 400 a.C., os sinos dos ventos passaram a ser confeccionados pelos japoneses. No Japão, praticava-se uma forma de Feng Shui associado à religião Xintoísta. Os sinos dos ventos eram utilizados para a invocação dos espíritos da natureza e também auxiliavam na dispersão de energias negativas dos locais. Eles produziam sinos de bronze que formavam um carrilhão chamado dokatu,  usado para potencializar a energia de seus templos e jardins. Depois, começaram a produzir sinos mais leves feitos por uma combinação de vidro, metal ou cerâmica. Apenas nos séculos XIX e XX, os sinos dos ventos se tornaram objetos decorativos utilizados em casas.


Leia também: Oração Cura – cientista comprova o poder de cura da oração e meditação


O poder de cura dos sinos dos ventos

Os sons produzidos pelos sinos dos ventos têm poder curativo sobre o nosso corpo. Eles acalmam o pensamento humano e despertam a alma. A vibração e ressonância do som têm a capacidade de liberar o estresse e os bloqueios emocionais do corpo, acalmando a mente. Uma mente tranquila, expande a consciência e promove a conexão com o espírito. Então, os sinos dos ventos causam uma conexão entre corpo, mente e espírito, trazendo a sensação de bem-estar e paz.

As palavras Feng Shui significam vento e água. Estes são os principais elementos para nossa energia vital, que também simbolizam a manifestação do movimento das energias. No Feng Shui, esta energia é chamada de Chi. O fluxo positivo do Chi é almejado para uma vida próspera, saudável e feliz. O fluxo negativo do Chi é prejudicial, ele pode estar se movendo muito lento, muito rápido ou estar estagnado. O Feng Shui propõe formas de melhorar estas condições e trazer um fluxo mais favorável para as energias. Uma excelente forma de eliminar o Chi negativo é utilizar o carrilhão de vento. Os sinos dos ventos ajudam a melhorar o Chi positivo.

Os sons da natureza podem alterar nossa condição emocional. Os sons positivos gerados pelos sinos dos ventos aliviam a sensação de solidão, aumentam o relaxamento, invertem estados de tristeza e melhoram o nervosismo, a tensão e a raiva. Eles ajudam a criar um fluxo positivo de energia. Também encobertam o fluxo Chi negativo, criado por sons agressivos como do tráfego urbano.

Pendure sinos dos ventos em sua casa e traga equilíbrio, relaxamento e bem-estar para a sua vida.

Este artigo foi livremente inspirado nesta publicação e adaptado ao Conteúdo WeMystic.

Encontre aqui a orientação espiritual que procura!

Saiba mais :

WeMystic Brasil WeMystic Brasil

Acima de tudo, queremos ver você feliz e equilibrado. Compartilhamos informação e autoconhecimento. Acreditamos que o conteúdo pode te ajudar a ter uma vida mais equilibrada e tranquila.

 

Faça aqui a sua Consulta Online Personalizada: