.
O culto às imagens e estátuas na Umbanda

O culto às imagens e estátuas na Umbanda

Diversas religiões utilizam o culto às imagens como uma forma de louvor, e na Umbanda não é diferente. A nossa religião afro-brasileira utiliza do sincretismo religioso para louvar os mais diversos deuses, orixás e entidades que fazem parte da crença. Veja a importância dessas estátuas para a Umbanda.

Afaste as más energias!
Afaste as más energias da sua vida!
Confira na nossa loja virtual as ervas produtos naturais para afastar as más energias. Aproveite já pois nossos estoques são limitados!
ESPIAR LOJA >>

Por que a Umbanda utiliza estátuas?

O culto às estátuas e imagens faz parte de uma necessidade humana. Nós somos seres muito visuais, muitas vezes precisamos ver para crer, por isso, para alimentar a nossa fé, ver a entidade em nossa frente facilita a nossa conexão com ela. É mais claro para nós orarmos e louvarmos uma estátua que representa a entidade que pretendemos alcançar do que simplesmente saber que ela está presente, mesmo que nós não consigamos visualizá-la. Por isso, a materialização dos santos, entidades, orixás e tudo aquilo que é cultuado na Umbanda é uma forma de fortalecer a nossa fé.


A representação é fiel?

É difícil afirmar isso, pois as imagens são compostas – tanto na Umbanda quanto nas demais religiões – a partir de relatos de pessoas que os visualizaram, por isso está sujeita à descrição e à avaliação desta pessoa. Por isso mesmo que encontramos imagens com diferenças na representação. Mas isso não é importante para a Umbanda, importante é o que aquela imagem representa. Ter o nosso orixá ou guia mentor representado fisicamente em nossa frente nos ajuda nos ajuda nos trabalhos espirituais, eles criam em nós uma conexão mais forte e verdadeira com as nossas entidades.


Leia também: Umbanda – veja o significado das cores das rosas nos rituais


São como retratos de parentes queridos

Sabe quando você olha para uma fotografia em sua estante e tem lá um ente querido que você adora? No mesmo momento nos lembramos da sua presença e isso traz conforto, saudade, nostalgia, amor, tudo a partir daquela lembrança positiva causada pelo retrato. As imagens e estátuas são semelhantes à fotografia, vê-las em nossa frente nos dá força e esperança para viver mais um dia, para enfrentar os obstáculos que a vida nos impõe, ao ver a nossa entidade em nossa frente nos sentimos amparados, sentimos que não estamos sozinhos nas nossas batalhas diárias. As imagens e estátuas nos ensinam muito, com elas abrimos o nosso coração como se estivéssemos realmente diante da nossa entidade de louvor.

Por isso, antes de mais nada, as imagens na Umbanda são uma poderosa ferramenta para nos conectarmos à nossa fé.


Mas isso não configura idolatria?

Essa é uma confusão comum e muitas pessoas criticam a Umbanda por isso, ao achar que que os umbandistas idolatram as imagens, mas essa é uma ideia errada. A idolatria é quando a pessoa acredita que a imagem em sua frente é realmente o guia ou entidade que ela acredita, significa reconhecer na imagem a própria divindade, atribuindo a ela poderes. Na Umbanda, os fiéis são orientados a orar sabendo que as imagens e estátuas são apenas objetos de representação feitos pelas mãos de artesãos ou fabricantes de artigos religiosos. Nenhum umbandista esclarecido acredita que as divindades “moram” dentro da estátua e mantêm seus congás (os altares religiosos da Umbanda) como uma forma de respeito e veneração. Portanto, as imagens na Umbanda são uma fonte de inspiração e fortalecimento da fé e não uma idolatria.


Encontre aqui a orientação espiritual que procura!

Saiba mais :

Ana Luiza Fernandes Ana Luiza Fernandes

Jornalista, mestre em Ciências da Comunicação e escolheu esse destino por amar ler e escrever desde criança. Vive conectada à internet, não perde uma novidade do cinema, da música e da literatura e busca constantemente a evolução pessoal e espiritual