.
7 conselhos poderosos de Dom Bosco para disciplinar crianças

7 conselhos poderosos de Dom Bosco para disciplinar crianças

Disciplinar crianças não é uma tarefa fácil, e todos os pais e educadores sabem disso. Mas como tomar as medidas certas para corrigir e educar as crianças? Veja as dicas que Dom Bosco sugeriu.

Conselhos de Dom Bosco na Educação das crianças

Dom Bosco foi um educador não e dedicou a sua vida a disciplinar meninos rebeldes. Ele ajudou milhares de crianças e jovens desfavorecidos a se tornarem homens inteligentes, educados e comportados, para serem bons profissionais e boas pessoas. Em suas cartas, ele estabelece um sistema onde ensina como fazer os alunos obedecerem por convicção, não por medo.

Neste sistema, Dom Bosco excluía o uso da força e do medo na educação, para ele, a caridade deveria ser o método utilizado na disciplina dos alunos. Para orientar e educar crianças e adolescentes seguindo os conselhos de Dom Bosco, leia abaixo:

  • Dom Bosco

    A punição deve ser o último recurso

    Perder a paciência com uma criança e ameaça-la é muitas vezes o caminho mais fácil, mas incorreto na educação e disciplina. É preciso que os pais e educadores tenham doses extras de paciência e respirem fundo muitas vezes antes de gritar ou ameaçar uma criança dizendo que ela irá apanhar, ficar de castigo ou com privações por causa de um erro ou má-criação.

  • 2

    Um educador que deseja ser respeitado por seus alunos deve tentar primeiro ser amado por eles

    Quando os alunos amam e admiram um professor, o respeito vem atrelado. O amor demonstra-se nas palavras e nas ações e por isso um professor amado será respeitado por seus estudantes que se sentirão desencorajados e confrontá-lo.

  • Dom Bosco

    Correções e punições não devem ser dadas em público – exceto em raras exceções

    As punições e correções públicas humilham e criam traumas para o resto da vida. Ao se sentir humilhado, crianças e adolescentes tendem a ficar rebeldes e desobedecer ainda mais. As repreensões, castigos e punições devem ser feitas na privacidade, afinal é um ato de educação e não de educação. O famoso “Lá em casa a gente conversa” funciona muito melhor do que em público.

  • Dom Bosco

    Castigos físicos devem ser absolutamente evitados

    Os castigos físicos machucam não só o corpo físico, mas a saúde mental e emocional da criança. Sabemos como muitas vezes é difícil evitar, mas é preciso, para não baixar a reputação e o respeito que a criança tem pelo educador. O diálogo e a explicação do erro é sempre o primeiro caminho a seguir.

  • Dom Bosco

    Deixe as regras muito claras para as crianças

    Se você quer que uma criança siga as suas regras, deve deixa-las bem explícitas. Algumas coisas que parecem lógicas para os adultos, para as crianças não são e é por isso que você precisa educar. Eles devem saber o que fazer, e quais as recompensas de se cumprir e consequências se não cumprir. Os limites devem ficar claros para que a criança não diga que não sabia.

  • Dom Bosco

    Seja exigente, mas gentil

    É preciso ser exigente na educação das crianças, ser firme para impor limites, corajoso na prevenção do mal, entretanto sem nunca deixar de ser gentil e prudente. Segundo Dom Bosco: “A caridade triunfa onde a severidade encontra o fracasso. A caridade é a cura, embora possa parecer (e ser) lenta. Daí a necessidade, de novo e sempre, de paciência, paciência e paciência.”.  Ser paciente não quer dizer conivente com o erro, não é tolerar a indisciplina, mas sim exigir muito sem humilhar nem punir, impondo o seu respeito.

  • Dom Bosco

    Não deixar que a raiva faça parte da educação

    Durante os momentos de educação dos nossos filhos e alunos, a serenidade deve estar em nossa mente, afastando a nuvem da impaciência. O autocontrole deve estar em nossa mente, nosso coração, nossos lábios e nossas mãos. Se a criança está errada, ela precisa aprender o que é certo, e brigar, humilhar e bater não é certo. Lembre-se que a criança aprende é com os exemplos que damos.

Parece difícil? Sabemos que sim. Mas é necessário. Ao seguir os conselhos e ensinamos de Dom Bosco você não estará mimando o seu filho, mas sim trilhando o caminho correto para sua educação e formação de um ser humano correto, disciplinado e inteligente. Conhece alguém que precisa ler esse texto? Compartilhe com ele!

Este artigo foi inspirado nesta publicação e livremente adaptado ao Conteúdo WeMystic.


Saiba mais :

Ana Luiza Fernandes Ana Luiza Fernandes

Jornalista, mestre em Ciências da Comunicação e escolheu esse destino por amar ler e escrever desde criança. Vive conectada à internet, não perde uma novidade do cinema, da música e da literatura e busca constantemente a evolução pessoal e espiritual