.
Como melhorar a autoestima e viver melhor

Como melhorar a autoestima e viver melhor

A forma como nós nos enxergamos influencia diretamente na nossa qualidade de vida. Veja a influência da nossa autoestima no nosso bem estar e saiba como melhorá-la para viver melhor.

Encontre as respostas para os seus pedidos!

Aceite a ajuda do seu Anjo, viva melhor.

Quero a Ajuda Espiritual!

Autoestima – a chave para o bem estar

Antes de tudo, você sabe o que é a autoestima? A autoestima é a forma como nos nos vemos, o valor que nós nos damos, ou seja, uma opinião que temos à nossa respeito. Isso mesmo, uma opinião, e não um fato. Uma pessoa que tem uma boa autoestima consegue se valorizar, reconhecer as suas qualidades e se sentir amada e respeitada pelos outros. Já quem tem baixa autoestima não se aceita como é, não encontra se valorizam e tendem a sentir que ninguém gosta delas ou aprecia as suas virtudes. Essa percepção que temos de nós mesmos influencia e muito na nossa capacidade de sermos felizes.


Como a opinião dos outros afeta a nossa autoestima

Nós, seres humanos da idade moderna, temos uma (terrível) tendência de valorizar demasiado a opinião que os outros têm sobre nós, e a partir dela formar a nossa opinião sobre nós mesmos. A forma como os outros nos veem e nos tratam influencia a nossa autoestima desde a infância. Buscamos, ainda pequenos, a aprovação constante dos nossos pais. Quando os pais criticam muito a criança quando ela erra e não a elogia quando ela acerta, a criança começa a desenvolver uma autoestima fraca. Quando crescemos, a opinião dos outros sobre nós exerce ainda maior influência.

Em um relacionamento amoroso, por exemplo, quando um dos parceiros assume um postura crítica sobre nossos atos, comportamentos ou aparência, a nossa autoestima fica condicionada à opinião dele. No ambiente profissional isso também acontece com frequência: um chefe muito exigente ou crítico demais do trabalho dos seus funcionários (ou mesmo a competitividade entre os funcionários por um maior destaque na empresa) pode prejudicar a nossa autoaceitação ao sempre nos pressionar por mais, como se nós nunca fossemos capazes de atingir o êxito completo, suficiente para agradar o chefe ou ganhar uma promoção. Isso nos põe para baixo, abala a nossa autoestima de forma significativa.


Leia também: Banhos mágicos – aprenda a fazer o banho das 13 luas para recuperar a autoestima


Pensamentos negativos sobre nós mesmos – veneno para autoestima

Vamos explicar de maneira bem didática. Imagine uma escala que varia de menos 10 a 10, como abaixo:

-10 -9 -8 -7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

Suponhamos que cada vez que nós recebemos uma crítica negativa, nós perdemos um ponto e vamos ao lado negativo da escala (lado esquerdo) e a cada elogio ganhamos um ponto e andamos para o lado positivo da escala (lado direito).

Se nós recebermos mais elogios do que críticas, nossa escala terá uma pontuação positiva. Se nós recebermos tanto críticas quanto elogios, alcançaremos com sorte (e de forma pouco provável, pois esse equilíbrio é muito raro) o zero. Mas o mais comum é recebermos mais críticas do que elogios, e isso abala a nossa autoestima, despoletando um experiência negativa que nos torna muito críticos em relação a nós mesmos. Como nós sobrevalorizamos a opinião alheia (e o resultado nessa escala), tendemos a encontrar defeito em tudo em relação a nós mesmos. Esse pensamento negativo, essa voz crítica interna que temos dentro de nós mesmos passa a ter o mesmo peso das críticas internas, ou até mesmo pior. Muitas pessoas se colocam tão para baixo com essa crítica interna, que não percebem que estão se boicotando.

Quando passamos a sofrer com o peso dessa crítica interna, costumamos formar uma imagem ideal daquilo que nós desejamos ser, dentro de uma escala de valores própria. Acreditamos que nós deveríamos possuir uma imagem de tal forma, conquistar habilidades físicas, mentais e profissionais muitas vezes intangíveis. A nossa forma física, condição financeira, parceiro amoroso ou amizades nunca serão bons o suficiente para elevar a nossa autoestima. Essa crítica negativa sobre nós mesmos e tudo aquilo que está relacionado conosco nos envenena de tal maneira que não conseguimos enxergar as nossas qualidades, mesmo que elas sejam óbvias para outras pessoas.


Metas Inatingíveis

Atualmente, os padrões pré-estabelecidos pela sociedade e reforçados pelo mundo da mídia e da publicidade têm influência decisiva na qualidade da nossa autoestima. Existem padrões inalcançáveis de beleza e de “felicidade”. Somos constantemente bombardeados com notícias de que: precisamos ser jovens, magros, bonitos, elegantes, bem comportados, bem sucedidos, ricos, bem acompanhados, super saudáveis e uma série de outras metas que só existem para que nós tentemos sempre chegar lá, sem nunca alcançar. E quando alguém se esforça muito para conseguir chegar nesse padrão e, por ventura, consegue, encontram um vazio enorme e sentem-se frustrados.

As conquistas que nós temos, não são valorizadas quando estamos com a autoestima abalada e cegamente influenciados por essas padrões inalcancáveis. A cobrança pela perfeição é muito alta e isso faz com que nós enxerguemos os nossos defeitos – algo natural em todos os seres humanos  – como algo errado, algo a ser mudado, corrigido, aperfeiçoado. Quando nos olhamos no espelho, só conseguimos enxergar as falhas, nunca as qualidades ou as conquistas. Você já parou para pensar que os padrões de beleza só são esses porque eles movimentam dinheiro?

A indústria do emagrecimento, das cirurgias plásticas, das maquiagens, da moda , e muitas outras lucram e muito com isso. Quanto mais inatingível for o padrão, mais as pessoas irão persegui-los na tentativa de alcançar o inalcançável. A ideia é criar padrões de beleza cada vez mais distantes da realidade, para que as pessoas consumam cada vez mais. É preciso estar atento para não deixar que essas ideias de perfeição prejudiquem a nossa autoestima.


Leia também: Como atrair energia positiva – Os Amuletos para cada Signo


Consequências da baixa autoestima

Os problemas com a autoestima podem levar ao isolamento social, a distúrbios físicos e emocionais, ao fim de relacionamentos amorosos e até à depressão. A não aceitação de si mesma e o auto boicote afasta a todos de você, ninguém quer estar perto de alguém que tem uma visão tão negativa de si mesmo, que só ressalta seus defeitos. Sabe por que? Quem só vê defeitos em si mesmo, só vê defeitos nos outros. Gosta de julgar, de criticar, de apontar o dedo, de se julgar o juiz da aparência e das atitudes de todos – e ninguém gosta disso.


A autoestima precisa ser valorizada

Quem possui uma autestima saudável conseguem ter melhores relacionamentos, sentem-se felizes e motivados para persistir em seus objetivos, sabem lidar com os erros e as frustrações de forma sadia e valorizar os seus acertos e vitórias. Pessoas que acreditam em si são mais propensas a desenvolver uma boa carreira acadêmica e profissional. A autoestima elevada permite viver a vida ao máximo, sem se importar demais com o que os outros pensam ou deixam de pensar.


Leia também: Descubra como atrair pessoas e sentimentos positivos através do desapego


Dicas para melhorar a sua autoestima

Melhorar a autoestima não é algo fácil, que se muda com o estalar dos dedos. É algo que precisa ser construído todos os dias, pois nós ficamos nos diminuindo por muito tempo e somos frequentemente bombardeados com os padrões inatingíveis que abalam nossa autoestima. É preciso antes de tudo querer mudar o nosso pensamento, assumir a responsabilidade sobre essa mudança, saber que será preciso buscar objetivos realistas e fugir da crítica interna negativa. Há coisas que nós precisamos aceitar e compreender que não podem ser mudadas. Veja algumas dicas para melhorar sua autoestima.

  • Combata os pensamentos negativos e autodestrutivos sobre si mesmo. Sempre coloque o foco nos acertos e qualidades positivas, valorizando seus progressos e suas vitórias.
  • Reconheça os seus limites. Ninguém é perfeito, se você quer mudar algo que irá te fazer feliz, faça isso dentro dos seus limites. Se perceber que não é possível alcançar, aceite e estabeleça novas e possíveis metas.
  • Aprenda com os seus próprios erros. Errar é humano, todo mundo erra, mas é preciso aprender com os erros para não persistir. Não se martirize, veja um aprendizado em cada erro.
  • Diminua suas expectativas de perfeição. Entenda que a felicidade está muito mais próxima da nota 7 do que da nota 10.
  • Orgulhe-se de si mesmo, expresse sua opinião, defenda-as, busque argumentos para isso. Não tenha vergonha de ser quem você é.
  • Procure fazer as pazes com o seu corpo. O seu corpo é perfeito do jeito que ele é. Se você quer emagrecer, que seja pela sua saúde. Estar bem com o espelho fará bem para a sua autoestima, portanto exercite-se e alimente-se bem, para que você se sinta bem. Cuide da sua aparência, mas sem exageros.
  • Busque fazer amigos. A maioria das pessoas está aberta para fazer novas e sinceras amizades, que tornam a vida mais prazerosa, sem o excesso de cobranças.
  • Evite situações e pessoas que o fazem sentir-se mal sobre si mesmo.
  • Seja gentil, consigo mesmo e com os outros. Gentileza gera gentileza. Você verá que os elogios virão naturalmente. Uma pessoa positiva com boa autoestima atrai pessoas positivas que se valorizam.

Esforce para fazer coisas que você gosta, tire um tempo livre para você. Para se divertir, para se cuidar, isso fará com que sua vida seja mais prazerosa e satisfatória.


Encontre aqui a orientação espiritual que procura!

Saiba mais :

Ana Luiza Fernandes Ana Luiza Fernandes

Jornalista, mestre em Ciências da Comunicação e escolheu esse destino por amar ler e escrever desde criança. Vive conectada à internet, não perde uma novidade do cinema, da música e da literatura e busca constantemente a evolução pessoal e espiritual

 

Faça aqui a sua Consulta Online Personalizada: