.
Kakebo: o método financeiro para não ficar no vermelho

Kakebo: o método financeiro para não ficar no vermelho

Hoje em dia, uma das coisas mais difíceis que podemos imaginar é guardar dinheiro. Para outras, é realmente o consumismo, o gasto excessivo que nunca para, apenas evolui para dívidas e cartões de crédito estourados. Entretanto, você já ouviu falar do Kakebo? Esse método japonês pode mudar completamente a sua vida financeira!

Kakebo: o que é?

O Kakebo é um método em forma de livro de contas que nasceu no Japão. Kakebo, em japonês, significa “livro de conta das despesas de casa”. Ele começou a ser utilizado depois de sua criação no início do século XX.

Sua criadora se chamava Motoko Hani e foi uma das primeiras mulheres a se formar em curso superior no Japão, um país bastante austero e patriarcal. Ela se formou em Tóquio, no Instituto Feminino de Ensino Superior.

Como sempre foi dotado para a economia, ela desenvolveu um método para que – principalmente – as mulheres pudessem ser controladoras das finanças da casa. Como as japonesas não ficavam com muito dinheiro, elas tinham que economizar bastante para que a renda mensal pudesse suprir os gastos com as despesas do lar e com a alimentação dos filhos, etc.

Foi assim que nasceu o Kakebo.


Clique Aqui: Métodos japoneses para transformar sua vida


Kakebo: como ele funciona?

Ele nada mais é do que um livro que você pode comprar em uma livraria ou pedir pela internet. Se trata de um livro de contas onde você conhecerá dois personagens principais: o Porco e o Lobo.

O porco representa o “cofre”, a sua renda e tudo aquilo que você tem para despesas, bem como para organizar, para poupar.

O lobo, por sua vez, representa o gasto e tudo o que nos faz perder dinheiro, como despesas médicas, comer fora de casa, alimentação e, até mesmo, coisas supérfluas.

Com o Kakebo, a gente começa a se dar conta de que às vezes gastamos muito e muito mais do que temos de renda porque não temos um controle. Foi justamente nisso que Motoko Hani pensou no desenvolvimento desse livro de contas. Ela percebeu que quando vemos todos os nossos gastos e as nossas rendas em um papel, nos atentamos a como manter tudo em ordem e a como não extrapolar as despesas com a quantidade de renda.

No decorrer do livro, temos que anotar tudo aquilo que recebemos por mês e os gastos de cada semana. Esse livro é interessante e tão completo que podemos dividir as despesas até em:

Gastos para sobreviver – aqui englobamos a alimentação, o transporte, remédios, animais de estimação, reforma da casa, gás, água, faturas;

Gastos com lazer e vícios – nesse, temos os restaurantes, os botecos, o cigarro, as bebidas, os perfumes que compramos, as roupas, os sapatos;

Gastos com cultura e entretenimento – aqui, os livros que compramos, as sessões de cinema, os concertos e espetáculos, os jornais, as assinaturas de revistas;

Gastos extras – presentes para amigos e familiares, objetos “não tão necessários”, troca de celulares e até mesmo viagens.

Com essas divisões acima, você consegue pensar e racionalizar muito melhor o uso do seu dinheiro, para que – no fim do mês – você sinta que fez a coisa certa e não gastou à toa, com futilidades.


O Kakebo é para quem?

Entretanto, nem todo mundo se adapta ao sistema do Kakebo, isso porque nós o procuramos quando temos alguma necessidade grande em relação às finanças. O público-alvo desse tipo de organização financeira são as pessoas que:

  • querem ser mais responsáveis com os seus gastos e saberem com o que estão usando o seu dinheiro, de maneira a serem também mais transparentes consigo mesmas;
  • desejam organizar suas despesas em razão das suas necessidades, tendo assim um maior conhecimento de tudo para que possam cortar gastos supérfluos;
  • tremem na base sempre quando chegam ao fim do mês, que a fatura do cartão está fechando e não sabem de onde veio tanto gasto;
  • querem começar a poupar, a guardar um dinheirinho para um projeto futuro.

“Muitas pessoas gastam o dinheiro que não têm, para comprar coisas que não precisam para impressionar pessoas que não gostam.”
Will Smith

Conselhos para iniciar o seu Kakebo

Quando você estiver com a sua agenda em mãos, procure levá-la sempre consigo para onde for. Coloque o seu nome e crie com ela um laço de afeto, como se ela fosse uma extensão da sua organização. Como se você dependesse dela para organizar toda a sua carteira.

No início de cada mês, escreva sempre tudo o que você recebe e tudo com o que irá gastar. É importante que a diferença seja positiva, para que você saiba quanto dinheiro conseguirá poupar com o Porco.

O dinheiro que sobrar, pense em guardá-lo em um cofrinho ou numa conta poupança.

Pense em rendas progressivas. Se no primeiro mês você conseguiu guardar 200 reais, pense que no próximo você poderá guardar 250 e faça de tudo para ir economizando cada vez mais.

Guarde os documentos financeiros como comprovantes de compra, faturas, boletos e tudo que mexe na sua conta. Isso te ajudará a melhor se organizar e cuidar de suas rendas.

Boa sorte com o seu novo Kakebo, disponível na maioria das livrarias!


Saiba mais :

WeMystic Brasil WeMystic Brasil

Acima de tudo, queremos ver você feliz e equilibrado. Compartilhamos informação e autoconhecimento. Acreditamos que o conteúdo pode te ajudar a ter uma vida mais equilibrada e tranquila.