.
Você tem traumas de infância? A numerologia mostra como lidar com eles

Você tem traumas de infância? A numerologia mostra como lidar com eles

A numerologia é capaz de desvendar os desafios dos traumas de infância e ensina como transformá-los em potenciais. Saiba como abaixo.


A numerologia e os traumas - transformando problemas em desafios

A infância é um momento na vida da pessoa que gera memórias que irão moldar a nossa personalidade para o resto da vida. Quando temos um trauma nos primeiros anos de vida, isso se torna uma ferida aberta, um ponto fraco, uma lembrança desconfortável que pode afligir durante toda a vida. Este ponto que nos deixa tão vulnerável pode se tornar a fonte da nossa força. A numerologia é capaz de identificar quais são essas feridas que carregamos em nossa vida, e saber quais são elas pode ser libertador, pode ser o estopim para trazermos uma mudança significativa para o nosso presente. Descubra toda a simbologia existente na numerologia em relação aos traumas e desafios da vida, procure entendê-la e direcionar os seus pensamentos e atitudes para a cura dessa ferida.

Encontre as respostas para os seus pedidos!

Aceite a ajuda do seu Anjo, viva melhor.

Quero a Ajuda Espiritual!

O número do Desafio

Para compreender quais são os traumas de infância que te acompanham, você precisa saber qual é o seu Número do Desafio. Você pode saber ele fazendo um mapa numerológico com um profissional ou pode também realizar o cálculo em casa. Não é um cálculo difícil, só é preciso muita atenção.Clique aqui para aprender como fazê-lo e depois volte à este artigo para descobrir qual é o seu trauma de infância e como lidar com ele.


Os traumas de infância vinculados à Numerologia

  • Quem tem a posição dos desafios marcados na casa número 1 do mapa numerológico pode ter vivido algum trauma na infância por causa de um pai ou responsável excessivamente protetor ou repressor. Essa figura de autoridade (normalmente masculina) pode ter gerado em você uma ferida na sua identidade que na idade adulta é expressada como uma insegurança, o medo de arriscar, de tomar atitudes erradas, de ser diferente. Esse trauma torna difícil a sua independência, a sua autonomia, a sua vontade de assumir e manter os seus projetos pessoais. Desvincular-se dessa autoridade/dependência dessa figura da sua infância é um grande desafio a ser vencido por você. Não é um processo fácil, é preciso balancear para não agir de maneira arrogante e impulsiva, nem passiva e acomodada, é preciso encontrar o equilíbrio. Você precisa aprender a depender somente de si próprio, ter coragem para ousar e ser quem você é, sem precisar da aprovação ou permissão dessa figura de autoridade. Envolver-se em projetos desafiantes em que você pode inovar e liderar é um excelente começo.

  • Se você tem a posição do desafio situada na casa número 2 provavelmente você viveu durante a sua infância e adolescência situações de amor e ódio com a sua mãe ou outra figura de autoridade do sexo feminino. Existem duas possibilidades marcantes:

    1- Você pode ter sido demasiado apegado à essa figura feminina e/ou ela pode ter te superprotegido.

    2- Ela pode ter te negligenciado, sua infância ter sido marcada por um distanciamento emocional em relação à essa mulher.

    Por causa disso, a sua forma de lidar com as emoções e demonstrar sentimentos ficou abalada. Demonstrar amor ou carinho por qualquer mulher pode se tornar lgo desconfortável, sempre remetendo às experiências do passado com uma sensibilidade aguçada. Quem passa por esse tipo de trauma na infância costuma se fechar, “blindar” as emoções para ter maior autocontrole de seus sentimentos e de si mesmo, para não sofrer emocionalmente de novo. Você precisa atingir a maturidade emocional e aprender a expressão sem barreiras os seus sentimentos em relação ao sexo feminino, lidar com isso com maior naturalidade, sem o medo que existe em seu subconsciente. Quanto mais você conseguir demonstrar carinho, compreensão, amor e diplomacia nas suas relações com as mulheres, mais rapidamente você se sentirá curado desse trauma da sua infância.

  • Se a posição do desafio está na casa do número 3 na numerologia, isso deve significar que durante a sua infância você se sentia inferiorizado em relação a algum irmão, primo ou amiguinho. As pessoas costumavam comprar vocês dois, ou você mesmo se comparava (ou as duas coisas) e normalmente você era considerado inferior: menos esperto, menos bonito, menos inteligente, menos sociável etc. Em consequência desse sentimento de inferioridade, você pode desenvolver na idade dificuldade em se expressar e em socializar. O ímpeto de demonstrar como você pensa e a sua criatividade deve ter ficado prejudicado e essas atividades se tornam desconfortáveis.

    Para vencer esse desafio é preciso recuperar a sua autoestima e autoconfiança. Tudo aquilo que envolve a arte, o prazer e a diversão vem acompanhado de um medo enorme de ser criticado ou de não ser notado, por causa desse trauma de comparação e inferioridade da infância. É preciso vencer esse desconforto, centrar-se em si mesmo e ter prazer em se expressar. Resgatar a sua essência, perceber que você tem o seu valor, as suas ideias podem ser interessante, você pode ser uma pessoa criativa e comunicativa. Exercite isso e você se libertará deste trauma.

Leia também: Numerologia – como estará o Brasil em 2017 de acordo com os números
  • Se a posição do desafio está na casa número 4 da numerologia, isso pode ter dois significados importantes:

    1- Ou você teve uma infância e/ou adolescência marcada por muitas responsabilidades e disciplina acirrada,

    2- Ou você teve uma criação excessivamente protetora, seus pais (ou responsáveis) faziam de tudo para que você se sentisse seguro.

    Independente de qual tenha sido a situação, as duas descritas cima geram consequências semelhantes: você cresce com uma enorme preocupação em relação à saúde, limpeza e organização. Quando você tem muitas obrigações na infância, começa a trabalhar desde muito cedo, ou o oposto, não teve obrigações nenhumas e recebeu tudo na mão, ambos (por incrível que pareça) criam uma ferida ou trauma semelhante.

    Quem conviveu com essas facilidades ou dificuldades na infância e adolescência oscilam na idade adulta entre uma rotina milimetricamente planejada onde não há espaço para erros e imprevistos e entre o caos total da desorganização e da falta de cuidados com o próprio corpo. Não existe um meio termo, ou a pessoa é muito apegada aos horários corretos, ou é totalmente desleixada com isso. Ou a casa é um brinco ou é uma verdadeira sujeira. Ou alimenta-se de forma muito saudável e com restrições, ou é totalmente relapso com a sua alimentação.

    Identificou-se com alguma dessas situações? Curar esse trauma será encontrar o equilíbrio, uma medida harmonizada entre o trabalho e o descanso, a responsabilidade e o ócio, as obrigações e os prazeres da vida.

  • Se você tem a posição dos desafios situada na casa nº 5 da numerologia, quer dizer que sua infância foi marcada por uma das duas situações abaixo:

    1- Ou você teve uma infância marcada por mudanças súbitas ou constantes, como ter mudado de cidade em decorrência do trabalho dos pais - o que gera uma série de consequências como a necessidade de readaptação, perda de amizades, etc.

    2- Ou teve uma infância excessivamente marcada por uma rotina repetitiva, em que seus pais tinha medo de perder a segurança e te limitaram muito.

    Esses dois tipos de situação (a falta de rotina ou o excesso dela exercem influências na personalidade das crianças que vão ser reveladas na idade adulta. Elas podem se sentir excessivamente limitadas pelas surpresas da vida ou desconfortáveis em relação a qualquer tipo de mudança, por mais simples que ela seja. Oscila entre o controle e a repressão. Há a existência de impulsos exagerados como comer e beber sem limites ou fazer dietas extremamente restritivas. Comprometer-se com coisas demais ou coisas de menos. A cura desse trauma está em equilibrar o peso da disciplina sem se privar dos prazeres da vida, de saber socializar sem se apegar demasiadamente, renovar ciclos de amizade, comprometer-se com a sua liberdade e não privar os outros da liberdade que têm. O número 5 precisa aprender a não se privar e não se exceder para se libertar deste trauma de infância.

  • Se a posição de desafio está posicionada na casa nº 6 da numerologia, então provavelmente você veio de um lar marcado por significativos conflitos entre os adultos (sejam eles seu pais, tios ou seus irmãos mais velhos). Essas discussões acaloradas acompanhadas de “Vá para o seu quarto que isso não é assunto para criança” ou “Não faça isso na frente das crianças” geram nos pequenos um trauma e uma ferida: eles crescem como adultos que não sabem lidar com os conflitos, têm grande desconforto para tratar de problemas com relação aos seus familiares, amigos, cônjuges ou colegas de trabalho.

    Os adultos que têm esse trauma na infância evitam relações em grupos (trabalhar em equipe, ter grandes grupos de amigos que saem juntos, etc) ou relações afetivas (assumir um relacionamento amoroso por exemplo). Outra consequência possível deste trauma é o completo oposto do descrito acima: são pessoas que criam grupos de amigos com laços muito fortes, que acabam se tornando a sua verdadeira família, ou que estão sempre namorando, termina um namoro, começa outro. Mas em qualquer que seja a consequência, se surge um atrito, ele não sabe como lidar, tem desconforto enorme em dialogar sobre isso, discutir a relação, tentando sempre evitar a conversa desagradável, é o clássico “deixa passar”.

    Esse trauma será curado quando você começar a entender e aceitar que todas as pessoas têm qualidades e defeitos e que os desentendimentos são naturais, e que podem ser discutidos sem gerar danos permanentes. É preciso perceber que nem toda discussão é ruim, na verdade, ela pode ser a solução para muitos atritos. Exercite a sua habilidade em dialogar, negociar e compreender, buscar acordos que agradem ambas as partes, e assim você estará curando esse trauma colocado em sua vida como desafio.

Leia também: Numerologia no casamento – os números definem o estilo de cada noiva
  • Se a posição do desafio está na casa nº 7 da numerologia, isso pode ter alguns significados diferentes:

    1- Que a criança cresceu em um lar muito religioso ou supersticioso.

    2- Que a criança cresceu em um lar onde valorizava-se muito a ciência e a racionalidade, e debochava-se de tudo que é espiritualidade, mistérios da vida invisível e religião.

    3- Teve a infância marcada por algum evento que guardou muitos segredos dentro de casa, como a eterna suspeita de uma traição do pai ou da mãe, que marcou toda a sua infância.

    Essas situações, quando vivenciadas na infância, geram nas crianças o medo da realidade. Eles passam a ter medo de saber a verdade, de investigar para saber o que há por trás. Quando adultos, eles preferem fugir daquilo que os assusta. Outra possibilidade é exatamente o contrário ficar obcecado em querer entender os mistérios da vida, desvendar segredos e situações complexas, ser muito bem sucedido materialmente. A briga entre a fé e o ateísmo devem brigar em seu íntimo, gerando uma relação de amor e ódio com a espiritualidade.

    Essa ferida é curada quando as pessoas evitam o fanatismo e também a descrença, quando evitam os excessos em relação à essas questões. É indicado que a pessoa desenvolve a fé (não necessariamente ligada à religião) e busque ser um especialista naquilo que gosta de investigar e aprender. É preciso que a pessoa não se feche para o mundo por causa deste trauma, aprenda a compartilhar os seus conhecimentos e a sua intuição, compartilhe a sua visão aprofundada da vida e de outros temas específicos.

  • Se a posição de desafio está na casa nº 8 da numerologia isso pode significar que:

    1- A criança vivenciou um processo de mudança na vida financeira e material da família devido a uma falência ou demissão na vida dos pais, avós ou responsáveis.

    2- A criança vivenciou situações de abuso de autoridade pelos pais ou responsáveis, alguém com comportamento tirano ou até violento, enquanto outra figura paterna ou materna tinha postura mais submissa e pacata na educação dos filhos.

    Quando uma dessas situações acontece, a criança cresce com um trauma em relação a como lidar com dinheiro ou bens materiais, tem dificuldades com assuntos práticos que envolvam finanças. Essa criança não se sente a vontade para assumir o seu poder pessoal, sente-se insegura, tem dificuldade em se destacar, em liderar, pois tudo isso remete-lhe a um medo do passado. Tem uma relação de amor e ódio com o sucesso, uma dualidade grande em relação à riqueza x pobreza, e um profundo incômodo em relação à figuras de autoridade e influência em sua vida (como o seu chefe, por exemplo.)

    Para se libertar desse trauma é preciso fazer as pazes com o dinheiro e as finanças, é preciso saber gerenciar a sua ambição e o seu desejo de poder, dando vazão ao seu carisma. É preciso direcionar a sua energia para as suas realizações e concretização dos seus sonhos. Valorizar a sua estabilidade e credibilidade, desfrutar do sentido da palavra prosperidade sem peso ou culpa.

  • Se a posição do desafio está na casa nº9 da numerologia então provavelmente a sua infância foi marcada por algum tipo de renúncia. Por exemplo:

    Ter ido morar com os avós e não poder fazer muitas travessuras de criança para não incomodá-los. Ter pais que se sacrificaram muito por você e não tiveram tempo suficiente para estar contigo em casa Um dos pais ter tido que renunciar à sua individualidade para cuidar de você ou de algum parente doente (ou coisa semelhante)

    A sua infância foi marcada por algum tipo de renúncia, alguém que gostaria de ter feito uma coisa mas não pode fazer porque era realmente preciso, houve um desejo reprimido em prol da família. Essa atmosfera de ter se negado, se renunciado em prol do outro de alguma maneira criou um trauma em você. Isso pode gerar consequências de abnegação ou individualismo excessivo na idade adulta. São consequências extremas: o adulto passa a ter desconforto para liderar fruto dos anos de humildade gerados pela renúncia, ou de recusar ajudar os outros com medo de “ir para o buraco junto com ele”.

    Você poderá curar esse seu trauma interior ao se conhecer e desenvolver a sua maturidade de forma consciente. Poderá desfrutar do seu potencial humanitário e didático ajudando outras pessoas e as inspirando, sendo um grande amigo de todos e se abrindo para aceitar, com prazer, os merecidos elogios dos outros. Terá prazer também em reconhecer e elogiar os progressos dos outros ao seu redor. E isso irá curar esse seu trauma.

Atenção: Se o seu número do desafio for o 11 ou o 22, neste caso, você deve considerar o número 2 (11=1+1=2) e o número 4 (22=2+2=4).

 

 

Encontre aqui a orientação espiritual que procura!

Saiba mais :

Ana Luiza Fernandes Ana Luiza Fernandes

Jornalista, mestre em Ciências da Comunicação e escolheu esse destino por amar ler e escrever desde criança. Vive conectada à internet, não perde uma novidade do cinema, da música e da literatura e busca constantemente a evolução pessoal e espiritual

 

Faça aqui a sua Consulta Online Personalizada:

Gostou? Compartilhe!