.
Salmo 22: palavras de angústia e libertação

Salmo 22: palavras de angústia e libertação

O Salmo 22 é um dos Salmos de Davi mais profundos e aflitivos. Ele inicia-se com uma lamentação intensa onde quase podemos sentir as dores do salmista. No fim, ele mostra como o Senhor o libertou, mencionando a crucificação e ressureição de Cristo. Esse salmo pode ser orado para reestabelecer a harmonia conjugal e familiar.

Encontre as respostas para os seus pedidos!

Aceite a ajuda do seu Anjo, viva melhor.

Quero a Ajuda Espiritual!

Todo o poder do Salmo 22

Salmo 22

Leia as palavras sagradas com muita atenção e fé:

  1. Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? por que estás afastado de me auxiliar, e das palavras do meu bramido?
  2. Deus meu, eu clamo de dia, porém tu não me ouves; também de noite, mas não acho sossego.
  3. Contudo tu és santo, entronizado sobre os louvores de Israel.
  4. Em ti confiaram nossos pais; confiaram, e tu os livraste.
  5. A ti clamaram, e foram salvos; em ti confiaram, e não foram confundidos.
  6. Mas eu sou verme, e não homem; opróbrio dos homens e desprezado do povo.
  7. Todos os que me vêem zombam de mim, arreganham os beiços e meneiam a cabeça, dizendo:
  8. Confiou no Senhor; que ele o livre; que ele o salve, pois que nele tem prazer.
  9. Mas tu és o que me tiraste da madre; o que me preservaste, estando eu ainda aos seios de minha mãe.
  10. Nos teus braços fui lançado desde a madre; tu és o meu Deus desde o ventre de minha mãe.
  11. Não te alongues de mim, pois a angústia está perto, e não há quem acuda.
  12. Muitos touros me cercam; fortes touros de Basã me rodeiam.
  13. Abrem contra mim sua boca, como um leão que despedaça e que ruge.
  14. Como água me derramei, e todos os meus ossos se desconjuntaram; o meu coração é como cera, derreteu-se no meio das minhas entranhas.
  15. A minha força secou-se como um caco e a língua se me pega ao paladar; tu me puseste no pó da morte.
  16. Pois cães me rodeiam; um ajuntamento de malfeitores me cerca; transpassaram-me as mãos e os pés.
  17. Posso contar todos os meus ossos. Eles me olham e ficam a mirar-me.
  18. Repartem entre si as minhas vestes, e sobre a minha túnica lançam sortes.
  19. Mas tu, Senhor, não te alongues de mim; força minha, apressa-te em socorrer-me.
  20. Livra-me da espada, e a minha vida do poder do cão.
  21. Salva-me da boca do leão, sim, livra-me dos chifres do boi selvagem.
  22. Então anunciarei o teu nome aos meus irmãos; louvar-te-ei no meio da congregação.
  23. Vós, que temeis ao Senhor, louvai-o; todos vós, filhos de Jacó, glorificai-o; temei-o todos vós, descendência de Israel.
  24. Porque não desprezou nem abominou a aflição do aflito, nem dele escondeu o seu rosto; antes, quando ele clamou, o ouviu.
  25. De ti vem o meu louvor na grande congregação; pagarei os meus votos perante os que o temem.
  26. Os mansos comerão e se fartarão; louvarão ao Senhor os que o buscam. Que o vosso coração viva eternamente!
  27. Todos os limites da terra se lembrarão e se converterão ao Senhor, e diante dele adorarão todas as famílias das nações.
  28. Porque o domínio é do Senhor, e ele reina sobre as nações.
  29. Todos os grandes da terra comerão e adorarão, e todos os que descem ao pó se prostrarão perante ele, os que não podem reter a sua vida.
  30. A posteridade o servirá; falar-se-á do Senhor à geração vindoura.
  31. Chegarão e anunciarão a justiça dele; a um povo que há de nascer contarão o que ele fez.

(Salmos 22:1-31)


Leia também: Salmo 16: a alegria do fiel que crê no Senhor


Interpretação do Salmo 22

Veja a interpretação Wemystic das palavras sagradas:

Versículo 1 a 3 – Deus meu, Deus Meu

Nos primeiros versículos do Salmo 22 percebe-se um sentido agudo de aflição de Davi, em que ele lamenta o sentimento de afastamento de Deus. Essas foram as mesmas palavras pronunciadas por Jesus durante a sua agonia na cruz e por isso reflete o extremo desespero que Davi se encontrava naquele momento.


Versículo 4 – Em ti confiaram nossos pais.

Em meio a dor e desespero, Davi confessa que a sua fé é no Deus louvado pelos seus pais. Ele lembra que Deus foi fiel às suas gerações anteriores e que tem certeza de que continuará sendo fiel às gerações posteriores que continuam leais a ele.


Versículo 5 a 8 – Mas eu sou verme, e não homem

Davi estava exposto a um sofrimento tão grande que se sente menos humano, ele descreve-se como um verme. Sentindo-se no fundo do poço, os seus inimigos ridicularizaram a fé que Davi tinha no Senhor e sua esperança de salvação.


Versículos 9 e 10 – O que me preservaste

Mesmo com tanto deboche à sua volta, Davi retoma suas forças e as deposita no Senhor, aquele que confiou durante toda a sua vida. Em vez de duvidar da bondade divina durante o período mais difícil de sua vida, ele prova o poder da fé reafirmando seu louvor ao seu único Deus por toda a vida.


Leia também: Salmo 13 – o lamento de quem precisa do auxílio de Deus


Versículo 11 – Não te alongues de mim

Novamente ele repete seu lamento inicial, reafirmando que não é capaz de tolerar o sofrimento sem ajuda de Deus.


Versículos  12 a 15 – Como água me derramei

Nestes versículos do Salmo 22, o salmista usa descrições vívidas para detalhar sua angústia. Ele cita seus inimigos como touros e leões, mostrando que sua aflição é tão profunda que ele sente a sua vida sugada, como se alguém esvaziasse um jarro d´água. Ainda na referência da água, ele aplica as palavras de Jo 19.28, ao dizer que as palavras de Jesus tenho sede, expressando sua secura terrível.


Versículos 16 e 17 –  Pois cães me rodeiam

Nestes versículos, Davi cita os cães como a terceira representação animal de seus inimigos. Nessa citação ele prevê claramente a cricificação de Jesus. As figuras de linguagem utilziadas representam as tristes vivências de Davi e os sofrimentos que Jesus viria sofrer.


Versículo 18 – Repartem entre si as minhas vestes

Neste trecho, Davi alerta que na crucificação de Jesus, os soldados tirariam as vestes de Cristo e tiraram a sorte entre eles, cumprindo fielmente essas palavras.


Leia também: Salmo 14 – estudo e interpretação das palavras de Davi


Versículos 19 a 21 – Salva-me da boca do leão

Até este versículo, o foco do Salmo 22 era o sofrimento de Davi. O Senhor aqui aparecia distante apesar do clamor do salmista. Ele é chamado para socorrer e livrar Davi como a sua última saída. O emprego de metáforas animais volta a acontecer, citando cães, leões e agora também unicórnios.


Versículos 22 a 24 – Louvar-te-ei no meio da congregação

Este versículo mostra como Deus liberta de toda a dor do salmista. Aqui, Deus já socorreu Davi depois de tanto sofrimento. Depois de tantas palavras de aflição, agora o auxílio de Deus faz com que o salmista se sinta amparado, e por isso evoca palavras de gratidão e devoção. Deus está próximo, responde e salva e por isso, sua fé e suas esperanças não foram em vão.


Versículos 25 e 26 – Os mansos comerão e se fartarão

Depois de salvo por Deus, Davi promete louvar e evangelizar em seu nome, a sua proclamação pública iria estimular os demais fieis e depositar sua fé no Senhor, que nunca abandona aqueles que confiam nele.


Versículos 27 a 30 – Porque o domínio é do Senhor

Diante de sua salvação, Davi decide que precisa disseminar a palavra sagrada para além de Judá. Ele queria a propagação do Evangelho, a benção de todas as nações.


Versículo 31 – A um povo que há de nascer contarão o que ele fez

A mensagem final mostra que a morte e ressurreição de Cristo irá espalhar a crença no Senhor por toda a terra e por todas as eras. As pessoas ouviram a mensagem clara do Senhor e o seguirão com fé.


Encontre aqui a orientação espiritual que procura!

Saiba mais :

Ana Luiza Fernandes Ana Luiza Fernandes

Jornalista, mestre em Ciências da Comunicação e escolheu esse destino por amar ler e escrever desde criança. Vive conectada à internet, não perde uma novidade do cinema, da música e da literatura e busca constantemente a evolução pessoal e espiritual

 

Faça aqui a sua Consulta Online Personalizada: