.
Salmo 2 – significado e interpretação do reinado do Ungido de Deus

Salmo 2 – significado e interpretação do reinado do Ungido de Deus

Você conhece o Salmo 2? Veja abaixo o poder e importância destas palavras e entenda a mensagem que a Bíblia traz nas palavras de Davi.

Afaste as más energias!
Afaste as más energias da sua vida!
Confira na nossa loja virtual as ervas produtos naturais para afastar as más energias. Aproveite já pois nossos estoques são limitados!
ESPIAR LOJA >>

As palavras do Salmo 2

salmo 2

O Salmo 2 fala sobre o glorioso Reino de Deus. Apesar do autor do texto em hebraico ser desconhecido, no Novo Testamento os apóstolos atribuíram-no a Davi (At 4.24-26).

1 Por que se amotinam os gentios, e os povos imaginam coisas vãs?

2 Os reis da terra se levantam e os governos consultam juntamente contra o Senhor e contra o seu ungido, dizendo:

3 Rompamos as suas ataduras, e sacudamos de nós as suas cordas.

4 Aquele que habita nos céus se rirá; o Senhor zombará deles.

5 Então lhes falará na sua ira, e no seu furor os turbará.

6 Eu, porém, ungi o meu Rei sobre o meu santo monte de Sião.

7 Proclamarei o decreto: o Senhor me disse: Tu és meu Filho, eu hoje te gerei.

8 Pede-me, e eu te darei os gentios por herança, e os fins da terra por tua possessão.

9 Tu os esmigalharás com uma vara de ferro; tu os despedaçarás como a um vaso de oleiro.

10 Agora, pois, ó reis, sede prudentes; deixai-vos instruir, juízes da terra.

11 Servi ao Senhor com temor, e alegrai-vos com tremor.

12 Beijai o Filho, para que se não ire, e pereçais no caminho, quando em breve se acender a sua ira; bem-aventurados todos aqueles que nele confiam.”

Salmos 2:1-12


Leia também: Salmo 1 – estudo bíblico e interpretação deste poderoso salmo


Interpretação do Salmo 2

Para a interpretação deste Salmo, iremos dividi-lo em 4 partes:

1– Descrição dos planos dos perversos (v. 1-3)

2–  Risada zombeteira do Pai celestial (v. 4-6)

3–  Declaração, pelo Filho, do decreto do Pai (v. 7-9)

4–  Orientação do Espírito a todos os reis para que obedeçam ao Filho (v. 10-12).


Vamos interpretar passo a passo:

2.1 — Por que se amotinam as gentes.

Inicialmente, os estudiosos da Bíblia diziam que estas “gentes” se referiam as nações que enfrentavam Davi e seus sucessores. Entretanto, hoje sabe-se que os reis davídicos eram apenas sombras do verdadeiro rei que viria, Jesus Cristo. Portanto, o ataque mencionado no Salmo 2 é a Jesus e ao Reino Divino. É o ataque da Cruz, o ataque da blasfêmia daqueles que resistiram ao evangelho e ignoraram o reino dos céus.


2.2 — Senhor refere-se ao Pai.

O Senhor é Deus Pai, o Ungido é seu Filho Jesus. A palavra ungido dá sentido de nobreza a cristo, pois somente os reis eram ungidos. Na passagem, os reis da terra tentavam se opor a Jesus, o Rei de todo o Universo.


2.3 — Rompamos as suas ataduras.

O rompimento das ataduras faz referência à cena do fim dos tempos descrita detalhadamente no Novo Testamento (Ap 19.11-21). Os reis da terra vão contra Jesus, com palavras de rebeldia.


2.4,5 — Zombará deles.

É patético e descabido rebelar-se contra Deus, todo Poderoso. Deus é o Rei do Universo e por isso zomba dos reis da Terra, que na sua insignificância acham que poderá atacar o Seu Filho. Quem são os reis da terra comparados a Deus? Ninguém.


2.6 — O meu Rei.

Davi e seus herdeiros receberam de Deus a promessa de que reinariam sobre os israelitas. Sião, dito no texto, é outro nome de Jerusalém. O lugar de Sião era santo pois assim Deus disse. Foi onde Abraão atou seu filho Isaque e onde também foi construído o templo sagrado onde faleceria o Salvador.


2.7,8 — Tu és meu Filho.

A cada vez que um filho legítimo de Davi era coroado como sucessor de seu pai em Jerusalém, essas palavras eram proferidas. Então, o novo rei era adotado por Deus como seu filho. Essa adoção era anunciada em uma cerimônia solene de coroação e adoração a Deus. No Novo Testamento, Jesus declara-se como Rei, como o ungido, o verdadeiro Cristo, filho do Pai.


2.9 — Vara de ferro.

O reinado do Filho de Deus, Jesus Cristo, seria absoluto, inevitável e incontestável. Não haveria espaço ou possibilidades para rebelião.


2.10,11 — Sede prudentes.

O pedido de prudência é para que os reis da terra se submetessem ao Ungido, ao Filho de Deus. Ele diz para que eles se alegrem, mas com temor. Pois somente com temor, teriam a reverência, adoração e respeito devido ao Santíssimo Deus. Somente assim a verdadeira alegria poderia vir.


2.12 — Beijai o Filho.

Com estas palavras, percebe-se a real intenção de mostrar ao povo a única opção correta e de salvação: amar o Ungido. Deus dá a sua benção a quem respeita sua vontade e seu filho, quem e recusa a obedecer, sofrerá da ira divina.


Encontre aqui a orientação espiritual que procura!

Saiba mais :

WeMystic Brasil WeMystic Brasil

Acima de tudo, queremos ver você feliz e equilibrado. Compartilhamos informação e autoconhecimento. Acreditamos que o conteúdo pode te ajudar a ter uma vida mais equilibrada e tranquila. Entre em contato com a gente no FB Messenger m.me/wemysticbrasil