.
Salmo 2 – significado e interpretação do reinado do Ungido de Deus

Salmo 2 – significado e interpretação do reinado do Ungido de Deus

Você conhece o Salmo 2? Veja abaixo o poder e importância destas palavras e entenda a mensagem que a Bíblia traz nas palavras de Davi.

Encontre as respostas para os seus pedidos!

Aceite a ajuda do seu Anjo, viva melhor.

Quero a Ajuda Espiritual!

As palavras do Salmo 2

salmo 2

O Salmo 2 fala sobre o glorioso Reino de Deus. Apesar do autor do texto em hebraico ser desconhecido, no Novo Testamento os apóstolos atribuíram-no a Davi (At 4.24-26).

1 Por que se amotinam os gentios, e os povos imaginam coisas vãs?

2 Os reis da terra se levantam e os governos consultam juntamente contra o Senhor e contra o seu ungido, dizendo:

3 Rompamos as suas ataduras, e sacudamos de nós as suas cordas.

4 Aquele que habita nos céus se rirá; o Senhor zombará deles.

5 Então lhes falará na sua ira, e no seu furor os turbará.

6 Eu, porém, ungi o meu Rei sobre o meu santo monte de Sião.

7 Proclamarei o decreto: o Senhor me disse: Tu és meu Filho, eu hoje te gerei.

8 Pede-me, e eu te darei os gentios por herança, e os fins da terra por tua possessão.

9 Tu os esmigalharás com uma vara de ferro; tu os despedaçarás como a um vaso de oleiro.

10 Agora, pois, ó reis, sede prudentes; deixai-vos instruir, juízes da terra.

11 Servi ao Senhor com temor, e alegrai-vos com tremor.

12 Beijai o Filho, para que se não ire, e pereçais no caminho, quando em breve se acender a sua ira; bem-aventurados todos aqueles que nele confiam.”

Salmos 2:1-12


Leia também: Salmo 1 – estudo bíblico e interpretação deste poderoso salmo


Interpretação do Salmo 2

Para a interpretação deste Salmo, iremos dividi-lo em 4 partes:

1– Descrição dos planos dos perversos (v. 1-3)

2–  Risada zombeteira do Pai celestial (v. 4-6)

3–  Declaração, pelo Filho, do decreto do Pai (v. 7-9)

4–  Orientação do Espírito a todos os reis para que obedeçam ao Filho (v. 10-12).


Vamos interpretar passo a passo:

2.1 — Por que se amotinam as gentes.

Inicialmente, os estudiosos da Bíblia diziam que estas “gentes” se referiam as nações que enfrentavam Davi e seus sucessores. Entretanto, hoje sabe-se que os reis davídicos eram apenas sombras do verdadeiro rei que viria, Jesus Cristo. Portanto, o ataque mencionado no Salmo 2 é a Jesus e ao Reino Divino. É o ataque da Cruz, o ataque da blasfêmia daqueles que resistiram ao evangelho e ignoraram o reino dos céus.


2.2 — Senhor refere-se ao Pai.

O Senhor é Deus Pai, o Ungido é seu Filho Jesus. A palavra ungido dá sentido de nobreza a cristo, pois somente os reis eram ungidos. Na passagem, os reis da terra tentavam se opor a Jesus, o Rei de todo o Universo.


2.3 — Rompamos as suas ataduras.

O rompimento das ataduras faz referência à cena do fim dos tempos descrita detalhadamente no Novo Testamento (Ap 19.11-21). Os reis da terra vão contra Jesus, com palavras de rebeldia.


2.4,5 — Zombará deles.

É patético e descabido rebelar-se contra Deus, todo Poderoso. Deus é o Rei do Universo e por isso zomba dos reis da Terra, que na sua insignificância acham que poderá atacar o Seu Filho. Quem são os reis da terra comparados a Deus? Ninguém.


2.6 — O meu Rei.

Davi e seus herdeiros receberam de Deus a promessa de que reinariam sobre os israelitas. Sião, dito no texto, é outro nome de Jerusalém. O lugar de Sião era santo pois assim Deus disse. Foi onde Abraão atou seu filho Isaque e onde também foi construído o templo sagrado onde faleceria o Salvador.


2.7,8 — Tu és meu Filho.

A cada vez que um filho legítimo de Davi era coroado como sucessor de seu pai em Jerusalém, essas palavras eram proferidas. Então, o novo rei era adotado por Deus como seu filho. Essa adoção era anunciada em uma cerimônia solene de coroação e adoração a Deus. No Novo Testamento, Jesus declara-se como Rei, como o ungido, o verdadeiro Cristo, filho do Pai.


2.9 — Vara de ferro.

O reinado do Filho de Deus, Jesus Cristo, seria absoluto, inevitável e incontestável. Não haveria espaço ou possibilidades para rebelião.


2.10,11 — Sede prudentes.

O pedido de prudência é para que os reis da terra se submetessem ao Ungido, ao Filho de Deus. Ele diz para que eles se alegrem, mas com temor. Pois somente com temor, teriam a reverência, adoração e respeito devido ao Santíssimo Deus. Somente assim a verdadeira alegria poderia vir.


2.12 — Beijai o Filho.

Com estas palavras, percebe-se a real intenção de mostrar ao povo a única opção correta e de salvação: amar o Ungido. Deus dá a sua benção a quem respeita sua vontade e seu filho, quem e recusa a obedecer, sofrerá da ira divina.


Encontre aqui a orientação espiritual que procura!

Saiba mais :

WeMystic Brasil WeMystic Brasil

Acima de tudo, queremos ver você feliz e equilibrado. Compartilhamos informação e autoconhecimento. Acreditamos que o conteúdo pode te ajudar a ter uma vida mais equilibrada e tranquila.

 

Faça aqui a sua Consulta Online Personalizada:

Gostou? Compartilhe!