.
Reiki Tibetano: o que é, diferenças e níveis de aprendizagem

Reiki Tibetano: o que é, diferenças e níveis de aprendizagem

Atualmente, existem diversos sistemas para uma mesma terapia, seja ela uma terapia floral, uma dieta específica ou o Reiki. Sobre esta última, a partir do sistema decodificado pelo Dr. Mikao Usui, o Reiki Tradicional ganhou ramificações por todo o mundo, que ensinam o mesmo método, mantendo-se as posições e a canalização da energia se dá através dos sete chakras, mediante a imposição das mãos. E foi a partir dos segmentos dessa terapia que se deram origem a modalidades como o Reiki Tibetano, também conhecido como Reiki Usui Tibetano.

Encontre as respostas para os seus pedidos!

Aceite a ajuda do seu Anjo, viva melhor.

Quero a Ajuda Espiritual!

Reiki Tibetano: o que é?

Reiki Tibetano

O Reiki Tibetano, ou Reiki Usui Tibetano, assim como os demais, é uma prática de cura espiritual que atua sobre nosso sistema energético, nos ajudando a recuperar o equilíbrio e atuando sobre todos seus níveis (física, mental, emocional, espiritual e também social) não importando a idade, estado de saúde ou crença religiosa do paciente. Como base, todos eles se utilizam da mesma energia universal e se baseiam no Sistema Usui de Cura Natural.

Mas se todos possuem princípios iguais, no que o Reiki Tibetano se diferencia dos demais? O sistema Usui Tibetano é composto por 4 níveis (primeiro, segundo, terceiro e perícia), onde cada um deles recebe sua respectiva cerimônia de ativação ou ajuste de fluxo dos canais. Outra diferença decai sobre os símbolos Reiki onde, ao invés de 4, passam a ser de 7 a 9, dependendo de cada caso, sendo eles: Dai-Ko-Myo Tibetano, Raku, Fogo Serpente, Dragão de Fogo e Tummo.

O sistema, ao contrário do que se imagina, foi criado por um mestre americano, chamado William L. Rand. Rand, utilizando-se dos ensinamentos da Sra. Tanaka Hawayo (mestre responsável pela introdução do Reiki no ocidente), adicionou à técnica tradicional, além de símbolos e níveis, algumas artes de cura extras, como a cirurgia psíquica e a sintonia de cura.

Em sua essência, esse sistema é uma combinação do Reiki Tradicional (Usui Shiki Ryoho), de Raku Kei Reiki e suas próprias contribuições já citadas.

Sendo assim, o Reiki Tibetano se mostra um sistema muito mais potente e profundo, com mais símbolos, diferentes sistemas de cura, potencializando e aprofundando muito mais nosso próprio desenvolvimento e evolução.


Os níveis de Reiki Tibetano

Como dito, o Reiki Tibetano se diferencia dos demais sistemas principalmente devido aos níveis de energia e administração das mesmas. Para quem deseja ser introduzido ao sistema, é preciso passar por quatro processos de despertar e manipulação de todo o conceito e poder presente na energia Reiki.


Leia também: 5 benefícios do Reiki no tratamento de depressão pós-parto


Nível 1 – Físico: o despertar

O iniciado recebe neste nível uma preparação básica para transmitir a energia Reiki. Não é requerido nenhum conhecimento prévio e a informação que se transmite é relacionada com a natureza do Reiki, como seu modo de ação, técnicas de aplicação e posição das mãos.


Nível 2 – Emocional e Mental: a transformação

Tem como requisito ter concluído o primeiro nível. Nesse processo serão ensinados os símbolos básicos de Reiki, os quais são sua fonte de energia. É aqui se ampliarão as técnicas de utilização do Reiki e se aprofundará em seus princípios. A ênfase do trabalho no nível 2 está concentrada nos corpos emocionais e mentais.


Nível 3 – Consciência: a realização

Este é um nível muito especial, onde nele o estudante de Reiki assume um compromisso pessoal consigo mesmo. Como requisito para ingresso, o aluno deve ter sido iniciado no segundo nível e esperar um mínimo entre 21 dias a 3 meses, dependendo do seu nível de prática.

Essa é uma etapa também conhecida como a Maestria Interior, pois aqui o aluno recebe um símbolo mestre, o que amplia notavelmente a intensidade da canalização energética e seu alcance. É neste nível que também se aprende um dos maiores diferenciais do Reiki Tibetano: a cirurgia energética. Também se trabalha com mandalas de Antahkarana e com a mandala de cristais, dentre outras técnicas.


Nível 4 – A maestria

O último nível é onde se aprende o processo de iniciar outros aspirantes a diferentes níveis de Reiki. O que se assemelha dentre todos os demais níveis é a questão do compromisso pessoal, pois ele é a chave de todo o processo, e determinantes para que resultados sejam vistos. É desse comprometimento que trata a maestria de se estar capacidade para iniciar um outro alguém.

As iniciações recebidas antes dessa etapa final foram responsáveis por preparar o terapeuta para que a energia flua nas quantidades e qualidades requeridas para que esse indivíduo possa iniciar os demais.

Apesar de cada um dos sistemas Reiki se apresentarem com vantagens distintas e outras formas de abordagem sobre a técnica inicial, é importante que cada indivíduo interessado em se tornar um mestre Reiki ou passe a aplica-lo em terceiros, siga ao velho ditado que “quando o aluno está pronto, o mestre aparece” antes de escolher a “escola” que deverá seguir.

Em outras palavras, ser introduzido aos ensinamentos do Reiki é um processo natural e acontece de forma espontânea. Ou seja, de acordo com o momento em que está passando na vida ou da sua vontade em evoluir, o mestre Reiki mais adequado naturalmente será encaminhado para você, seja ele de um sistema Xamânico, Tibetano, Estelar, Karuna ou outro.


Encontre aqui a orientação espiritual que procura!

Saiba mais :

Heloisa Von Ah Heloisa Von Ah

Designer e redatora, respira arte desde que se entende por gente. Apaixonada por gatos, literatura, cinema e músicas que já ninguém mais se lembra, vê na calmaria e na simplicidade o cenário ideal para se viver. Aprendeu de tudo um pouco, de instrumentos musicais a artes marciais; e não vê a hora de mais, já que a vida não pode parar

 

Faça aqui a sua Consulta Online Personalizada: