.
O que a cor do pelo de cachorro diz sobre a genética dele? Descubra!

O que a cor do pelo de cachorro diz sobre a genética dele? Descubra!

Parece muito estranho que a cor do pelo do cachorro seja determinante para a saúde dele, não parece? Nós também achamos e resolvemos averiguar este estudo, o que nos mostrou que: a cor do pelo dos cachorros realmente influencia em sua genética. Confira este estudo abaixo.

Encontre as respostas para os seus pedidos!

Aceite a ajuda do seu Anjo, viva melhor.

Quero a Ajuda Espiritual!

A cor do pelo do seu cachorro é determinante para a saúde dele

Existem cães com pelos nas mais diferentes tonalidades: pretos, brancos, amarelos, castanhos, dourados, cinzentos, com manchas, rajados e muito mais. O que os cientistas descobriram e é uma novidade é que os cães com a mesma tonalidade de pelo carregam em si semelhanças genéticas, e essas semelhanças afetam, entre outras coisas, o olfato e a audição dos nossos amigos caninos.


O olfato é afetado pela cor do pelo

Os cientistas fizeram essa descoberta ao perceber que os cães albinos ou com tons de pelo muito pálidos possuem um olfato subdesenvolvido, fraco. É justamente por causa deste problema no olfato, que os cães albinos costumam viver menos na natureza, quanto mais branquinhos mais suscetíveis eles ficam aos riscos que o mundo lhes proporciona, já que o olfato é um dos sentidos mais importantes para os cães, é como se fosse a visão humana.


Leia também: Cachorro? Gato? Ou um animal exótico? Conheça os pets de cada signo


E a audição também

Muitos de nós escolhemos os nossos cães com base na cor do pelo dele, sem nem mesmo imaginar que além de afetar o olfato, a pelagem afeta também a audição deles. Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos utilizando um teste chamado de BAER (Brainstem Auditory Evoked Response) selecionou 11.000 cães para testar a sua audição e as respostas que os sons traziam em ondas cerebrais. Com base nisso, os pesquisadores observaram que as seguintes cores de pelagem de cão apresentam maior risco de perda auditiva congênita (natural):

1- Brancos com manchas negras

Os cães que apresentam essa pelagem foram considerados pelos especialistas os mais propensos a perderem a audição naturalmente. A raça dálmata, por exemplo, possui este tipo de pelagem e é uma raça de cães em que a surdez congênita é mais comum – quase 22% dos cães apresentam surdez em uma das orelhas e 8% apresentam surdez em ambas as orelhas.


2- Tons de branco

Os cães com pelagem branca, além de ter o olfato reduzido, têm também a segunda maior propensão em apresentar surdez congênita. Nos cães da raça Bull Terriers, por exemplo, a taxa de surdez é de quase 20%. Os Cocker Spaniels britânicos (totalmente brancos ou com manchas castanhas) tiveram uma taxa de surdez congênita de 6% nas duas orelhas e 1% em apenas uma orelha.


3- Preto azulado

O preto azulado é aquele tom de pelo muito preto, tão preto que parece azul. Os cães que possuem a pelagem neste tom são os terceiros mais propensos a perder a audição naturalmente em sua vida.


A cor dos olhos também afeta

Os mesmos genes que geram a pelagem clara nos cães são responsáveis por trazerem também olhos azuis a eles. No estudo, foi percebido que os dálmatas de olhos azuis eram ainda mais propensos a possuírem surdez do que aqueles com olhos castanhos, quase 51% dos dálmatas com olhos azuis possuíam surdez em uma ou ambas as orelhas. Mesmo se o cão branco de manchas negras possui olhos castanhos, mas os seus progenitores (os pais do cão) possuíam olhos azuis, a tendência a perder a audição ao longo da vida é aumentada.


Encontre aqui a orientação espiritual que procura!

Saiba mais :

Ana Luiza Fernandes Ana Luiza Fernandes

Jornalista, mestre em Ciências da Comunicação e escolheu esse destino por amar ler e escrever desde criança. Vive conectada à internet, não perde uma novidade do cinema, da música e da literatura e busca constantemente a evolução pessoal e espiritual

 

Faça aqui a sua Consulta Online Personalizada: