.
Maio é o mês de Maria -  descubra 4 razões da escolha deste mês

Maio é o mês de Maria - descubra 4 razões da escolha deste mês

Para os cristãos, maio é um mês inteiramente dedicado à Maria. Milhões de peregrinos se deslocam até santuários, fazem orações especiais dedicadas a elas e muitas oferendas para a nossa Mãe do Céu. Mas você sabe por que este mês é considerado o mês de Maria? Veja 4 razões abaixo.

Afaste as más energias!
Afaste as más energias da sua vida!
Confira na nossa loja virtual as ervas produtos naturais para afastar as más energias. Aproveite já pois nossos estoques são limitados!
ESPIAR LOJA >>

O mês de Maria – por que o mês de maio é consagrado à Nossa Senhora

Existem inúmeras razões para a escolha do mês de maio como o mês de Maria, veja as principais abaixo:

  • O tempo das flores no hemisfério norte

    Segundo o beato cardial John Henry Newman, o mês de maio é sagrado na natureza, pois é nele que começa a surgir o verde nas matas e nos pastos depois do frio do inverno, é o fim do vento selvagem e a chegada da chuva da primavera. Os dias tornam-se mais agradáveis e longos, o sol nasce mais cedo e se põe mais tarde, motivo de alegria e júbilo a todos. Por Maria ser a Rosa Mística da Casa de Deus, nenhuma estação seria mais apropriada a ela do que a primavera. O mês de maio é o prelúdio do verão no hemisfério norte.

  • O mês da promessa e da esperança

    Maria é considerada na tradição católica como a Senhora da promessa e da esperança, à semelhança deste mês, que com seus dias quentes e de alegrias renovadas traz a energia esperançosa e as promessas de um futuro melhor a todos.

  • Maio é o mês das mães

    Em diversos países do mundo inteiro, o dia das mães é comemorado no mês de maio. O dia exato varia, mas este mês é dedicado à todas as progenitoras, e Maria, como nossa mãe do Céu, também é homenageada durante todo este mês.

  • O mês da Artemisa e da Flora

    Outra razão foi a continuidade de uma tradição pagã que homenageava na Grécia Antiga a Artemisa, deusa da fecundidade, símbolo de uma religiosidade popular.  Também na Roma Antiga, o mês era dedicado à deusa Flora, a deusa da vegetação, que era quando o povo realizada os jogos florais para louvar essa deusa. A devoção à Maria veio unificar o louvor às deusas femininas.

Leia Também: Orações para o mês de Maio – o mês de Maria


Por que Maria é tão importante para a Igreja?

Maria foi a mulher predestinada por Deus a ser mãe de seu filho. Imaculada, viveu uma vida sem pecados e desde o seu nascimento o seu destino como progenitora de Jesus já estava traçado. Há passagens da Bíblia que enaltecem a importância da nossa Mãe do Céu na religião Católica:

As bodas de Caná

Na passagem que narra “As bodas de Caná”, o livro sagrado enaltece o poder de Maria como intercessora. Com seu olhar feminino atento que tudo observa, ela notou que o vinho estava pouco e que logo acabaria. Ela então sussurra ao ouvido de Jesus a sua preocupação e sem nem sugerir, ela já dita ao seu filho o milagre da transformação. Jesus transforma água em vinho através da indicação de sua mãe, que se mostra caridosa e intercessora por todos.


O silêncio e a humildade do Sim de Maria

Maria foi uma mulher de infinita bondade e humildade, quando estava em sua casa orando como de costume, o anjo lhe aparece para dizer que ela havia sido a escolhida para ser a mãe de Jesus, o salvador. Maria se assusta com a notícia, pois no alto na sua humildade jamais imaginava que seria ela a escolhida por Deus. Mas como uma mulher predestinada e fiel a Deus, ela aceita e diz que sim, acolhendo silenciosamente a palavra do mensageiro.


A coragem e força de Maria diante do sofrimento

Maria mostrou-se como uma mulher muito forte e corajosa diante dos sofrimentos que foram colocados em sua vida como mãe de Cristo. O primeiro foi quando a profecia de Simeão disse da vontade do Rei Herodes de matar Jesus, já que ele acreditava que Jesus poderia roubar o seu trono. Simeão disse “Uma espada de dor transpassará a tua alma”. Por isso, Maria, José e Jesus ainda bebê fugiram para o Egito para fugir de tal profecia.

O segundo momento foi quando Jesus tinha apenas 12 anos e se perdeu de Maria e José em Jerusalém na celebração da Páscoa judaica. Quando os pais encontraram Jesus no Templo, em meio a sábios e médicos, ela lhe disse: “Por que fizeste isto? Eu e teu pai te procurávamos, aflitos”. Foi a segunda vez que Maria sofreu por medo de perder o seu filho.

O terceiro momento, e mais doloroso, foi na Paixão e Crucificação de seu filho. Ela se manteve de pé, forte, sempre ao lado do seu filho, enquanto ele era sacrificado. A dor estava presente em seu rosto, mas Maria jamais fraquejou, mostrando que apesar de uma mulher pura, bondosa e sensível, tinha a força necessária para ser a mãe de Jesus e de todos nós.


Encontre aqui a orientação espiritual que procura!

Saiba mais :

Ana Luiza Fernandes Ana Luiza Fernandes

Jornalista, mestre em Ciências da Comunicação e escolheu esse destino por amar ler e escrever desde criança. Vive conectada à internet, não perde uma novidade do cinema, da música e da literatura e busca constantemente a evolução pessoal e espiritual