.
Espírito: os cães o reconhecem?

Espírito: os cães o reconhecem?

Os estudos relacionados às aptidões caninas são muito importantes para conseguirmos entender os nossos amiguinhos de quatro patas. Hoje, já é sabido que os cães conseguem pressentir a presença de espírito e sensações humanas, assim como pode até mesmo mostrar sinais de presságio, prevendo catástrofes ou boa-sorte.

Mesmo com toda a tecnologia que dispomos em nossa atualidade, nenhum cientista ou computador já conseguiu desvendar este mistério canino, estas ondas sensitivas, estas percepções fora da realidade. Entretanto, mesmo que isto ainda seja um mistério, não deixa de ser importante, para que consigamos entender mais os nossos amigos!

Espírito com medo: os cães percebem?

É muito comum, ou ao menos a gente já presenciou uma situação parecida, que um cão pressinta o espírito humano num estado de medo. Às vezes o cachorrinho é bonzinho e dócil, nunca fez mal a ninguém e não tem pretensões para atacar.

Entretanto, pode acontecer de um ser humano vir com um espírito de medo, seja de uma situação aleatória ou medo até mesmo do próprio animal. O cão, através do seu olfato, consegue perceber este espírito de carga negativa e começa a latir, mesmo não querendo atacar. Nós até nos questionamos: “nossa, será que ele não foi com a sua cara?”.

Na maioria das vezes, não quer dizer que o cachorro não tenha ido com a sua cara, mas sim que ele reconheceu em você algo que ninguém mais estava apto a ver: o seu espírito!


Clique Aqui: 10 previsões que os cachorros podem fazer


Espírito ameaçador: como os cães reagem?

Uma outra coisa muito interessante sobre os cães é que eles são geralmente os “animais” de guarda. Tanto é que todo mundo já deve ter visto uma destas plaquinhas que são colocadas no portão: “Cuidado, cão bravo!” ou coisas do gênero.

E isto tem uma explicação muito remota. Desde a antiguidade, os cães são usados como guardiões. Cleópatra utilizava cães altivos e perspicazes para protege-la e atacar caso fosse necessário. Os cachorros sempre tiveram esta espécie de sexto sentido onde qualquer espírito de ameaça, tão invisível aos nossos olhos, pode se mostrar claramente ao cão.

E, mesmo que esta ameaça não seja cogitada pelo espírito do ser humano, o cão pode prever a possibilidade de que este a pense e a desenvolva. Tudo isto para analisarmos o raciocínio canino.

Podemos até mesmo pensar na seguinte situação: uma pessoa bêbada andando pela rua é sentida pelo cão à distância. O cachorro geralmente vai latir e, às vezes, se mostrar agressivo. Ele está dando sinais não apenas de que aquela pessoa representa um perigo para ela, mas também de que ela pode cometer ações negativas para outros.

Esta atitude de defesa que tem os cães é muito comum também no espírito materno. Quando sentimos que algo não vai bem com os nossos filhos ou com alguém que os observa de maneira capciosa. Os cães também sentem isto, sobretudo quando percebem um cheiro diferente do habitual. Neste momento, eles já começam a latir e mostrar que algo não está certo, que algo saiu da normalidade até então estabelecida para o espírito da casa.


Espírito de vida ou morte: os cães o sentem?

O estado de vida ou morte do espírito também pode ser sentido pelo cão. Ou eles sentem o espírito em vida no corpo ou sentem um corpo sem vida, um cadáver.

Durante catástrofes, como terremotos e desabamentos, é muito usual que cachorros sejam usados como farejadores para encontrar possíveis vítimas. Assim, os bombeiros andam com eles por cima dos escombros, sempre em busca de corpos ou pessoas com vida.

Os cães, quando sentem um espírito vivo, começam a latir e se mostram em uma emoção muito latente. Neste momento, os bombeiros já sentem também que o cachorro está avisando: “alguém está vivo nesta área”. Entretanto, quando o cachorro pressente algum cadáver desprovido de espírito, ou seja, quando o corpo não mais respira, o cão tende a se mostrar confuso, pode chorar, tem os pelos eriçados, chega até mesmo a gemer ou defecar, de tanto medo.

E é neste momento que a equipe de resgate também se entristece, vendo que algum corpo, já sem vida, foi encontrado.


Clique Aqui: Como reconhecer a presença de espíritos obsessores


Espírito após a morte: os cães o buscam?

E, por fim, temos os sentimentos caninos pelo espírito que os amou. Quando o dono de um cão morre, este fica muito abatido e pode emagrecer muito, se mostrando um animal fraco e cansado. Se livres, tendem a ir com frequência ao cemitério, ficarem próximos ao túmulo do dono. Alguns até gemem de tristeza.

Isto não mostra que eles estejam sentindo o espírito, pois este já se foi. Mas sim que eles estão buscando, pelo último rastro de cheiro humano, um espírito que antes ali estava. Realmente devemos valorizar estes nossos amigos e doarmos amor a eles com a mesma intensidade, sempre!


Saiba mais :

WeMystic Brasil WeMystic Brasil

Acima de tudo, queremos ver você feliz e equilibrado. Compartilhamos informação e autoconhecimento. Acreditamos que o conteúdo pode te ajudar a ter uma vida mais equilibrada e tranquila.