.
Descubra como o Funcho pode beneficiar sua saúde através da Ayurveda

Descubra como o Funcho pode beneficiar sua saúde através da Ayurveda

O Funcho, que é muitas vezes chamado de Erva-Doce justamente por seu sabor mais adocicado, é mais uma das inúmeras plantas descritas pela fitoterapia ayurvédica. Essa pequena planta de aroma tão característico e raiz lenhosa, possui um caule que pode chegar a apenas um metro e meio de altura e do qual saem seus ramos verdes bem brilhantes, servindo de referência para quem a conhece bem.

Sua nomenclatura dentro da botânica é a Foeniculum vulgare, sendo ela descrita como possuidora de folhas finas e divididas em segmentos estreitos, com frutos nos quais estão algumas cápsulas possuidoras de pequenas semente ovais. O Funcho possui características como sabor e aroma semelhantes ao anis, e por esse motivo é igualmente muito utilizada na culinária. Entre as diferenças estéticas a respeito das duas plantas temos suas flores, que no caso do Funcho são amarelas e no Anis, ou Pimpinela anisum, são brancas.

A planta já é conhecida desde a antiguidade pelos povos da Índia, China, Egito, Grécia e Roma, onde os Romanos por exemplo, já utilizavam a erva para ao menos 22 finalidades terapêuticas com destaque para alguns distúrbios oculares; já os Gregos viam o Funcho como um grande símbolo de vitória, de modo que os próprios soldados e gladiadores incluíam a planta em sua dieta para garantir mais força e coragem para as batalhas.

Veja também:

 

Como atua o Funcho na Ayurveda e na medicina tradicional


Dentro da Ayurveda o Funcho tem também muitos benefícios e utilidades, sendo descrito como possuidor de um sabor adocicado, picante e amargo, com uma potência fria e qualidades leves e oleosas que conseguem equilibrar os doshas Vata e Pitta. Ela pode ser utilizada por meio de infusão ou através do óleo essencial.

Vale lembrar aqui que o óleo de Funcho é inclusive aprovado pela comissão E alemã no combate a tosse, bronquite e dispepsias.

Entre os benefícios gerais oferecidos pelo Funcho temos podemos observar uma melhora da digestão, eliminação de toxinas, alívio de cólicas e gases, combate à insônia e nervosismo, auxílio com as dificuldades na menstruação, ações diuréticas, expectorantes, antitussígenas, estimula a lactação materna – porém seu uso durante a gravidez não é recomendado -, combate a infecção urinária e a disfunção erétil.

Ele pode ser utilizado em combinação com outras plantas como o gengibre e a canela para melhorar o fogo digestivo Angi. Caso opte por fazer uso da planta em pó, a dose diária recomendada é de 3 a 6 gramas.

Encontre aqui a orientação espiritual que procura!

Veja também:

Gostou? Compartilhe!