.
A medicina e a dieta pela Ayurveda: as chaves para o equilíbrio

A medicina e a dieta pela Ayurveda: as chaves para o equilíbrio

A Ayurveda, ou Medicina Ayurvédica é conhecida como a mãe da medicina, pois seus princípios e estudos foram a base para, posteriormente, o desenvolvimento da medicina tradicional chinesa, árabe, romana e grega. Houve também um intercâmbio de informações com o Japão, que possuía a mesma necessidade dos indianos: criar uma medicina barata para atender às suas vastas e pobres populações. Por essa razão existe muito da medicina japonesa nos conceitos de ayurvédica. As duas desenvolveram técnicas muito eficientes e de baixo custo para o tratamento.

Veja também: Conheça os princípios e significados da Ayurveda

A doença, para a Ayurveda é muito mais que a manifestação de sintomas desagradáveis ou perigosos à manutenção da vida. A Ayurveda, como ciência integral, considera que a doença inicia-se muito antes de chegar à fase em que ela finalmente pode ser percebida. Assim, pequenos desequilíbrios tendem a aumentar com o passar do tempo se não forem corrigidos, originando a enfermidade muito antes de podermos percebê-la. Esta técnica foi o alicerce que permitiu o crescimento da medicina japonesa.

Conforme os textos hindus sobre o tema, a Medicina Ayurvédica divide-se em oito categorias fundamentais, sendo elas:

  • Medicina Interna ou Clínica Geral
  • Pediatria
  • Psiquiatria 
  • Doenças da cabeça e pescoço (incluindo a otorrinolaringologia, a oftalmologia e a odontologia)
  • Cirurgia
  • Toxicologia
  • Rejuvenescimento e Geriatria.

O uso da massagem

receitas de aromaterapia


Além de se utilizar de alimentação adequada, fitoterapia, yoga e outras técnicas, a massagem é uma das principais técnicas utilizada pelos médicos e terapeutas ayurvédicos, por ser de baixo custo e fácil aplicação. 
Com origem na cultura dos Vedas (antiga etnia indiana), esta não é apenas uma das mais antigas, mas também uma das mais completas técnicas naturais para restabelecer o equilíbrio físico e psíquico. Trata-se de uma massagem profundamente relaxante, atuando no campo físico e energético, purificando e mantendo a saúde corporal. Tem como objetivo restaurar o bem-estar físico, mental, energético e emocional.

| Atuação da massagem ayurvédica: sistemas linfático (desintoxicando o organismo), circulatório (aumentando a produção de glóbulos brancos e a nutrição e oxigenação celular) e energético (reequilibrando o chakra e atuando nos sete corpos - desfazendo bloqueios emocionais). Dessa forma contribuindo na cura das principais doenças.

| Indicações: utilizada como um fundamental tratamento para quase todas as doenças, é indicada, principalmente para dependência química, alergias, estresse, estafa, fadiga, depressão, fibromialgia, bloqueios emocionais, problemas musculares e de coluna. Lembrando que na Ayurveda não se trata a enfermidade, mas sim o indivíduo. Deve ser ministrada com cuidado em gestantes.

| Benefícios: rejuvenescimento da pele, realinhamento das estruturas óssea e muscular, aumento da autoconsciência, fortalecimento do sistema imunológico, aceleração da circulação linfática e consequente desintoxicação do organismo. Elimina bloqueios, previne doenças, aumenta a flexibilidade, reequilibra os chakras, atua nos sete corpos sutis, fornece maior mobilidade das articulações e possibilita uma vida mais harmoniosa e feliz.

Veja também: Aromaterapia: A Cura através dos Aromas

É importante ressaltar que, para uma massagem ser ayurvédica, deve-se levar em consideração os doshas do paciente, seus desequilíbrios e suas características. É uma prática individualizada, específica para cada tipo de pessoa. Não existe apenas uma técnica de massagem na Ayurveda, mas sim diversas delas, que são feitas com óleos essenciais medicados de acordo com os doshas em desarmonia.

Reconhecida pela OMS (Organização Mundial da Saúde) a massagem ayurvédica é utilizada por quase toda população da Índia e está sendo amplamente divulgada no mundo. Alegadamente, também fortalece o sistema imunológico, aumentando a quantidade de glóbulos brancos e desintoxicando o organismo, mas não existem evidências.

Com dúvidas e questões para o próximo ano?

Fale agora com a nossa Esotérica.
Saiba qual é o seu Arcano Regente e encontre a orientação espiritual que procura.
Consulta online personalizada e confidencial.

 

A Dieta Ayurvédica


A dieta ayurvédica deve ser orientada de acordo com os doshas do indivíduo e a condição atual do mesmo, tendo um papel preventivo na saúde, ajudando a manter-la, reforçando o sistema imunológico, prevenindo doenças. A dieta ayurvédica inclui não somente os tipos de alimentos que devem ou não ser tomados pelas pessoas, mas também as regras e os procedimentos corretos no ato de alimentar-se e as combinações alimentares adequadas e inadequadas para cada pessoa.

Esse método, permite um tratamento precoce de determinada condição de desarmonia nos doshas, visando em uma dieta a fim de reequilibra-los. Além dos pratos administrados e temperos, outros fatores também devem ser levados em consideração, como as estações do ano, o local, o dia, o horário. Veja os exemplos:

  • Verão: estação quente e úmida, assim como o dosha Pitta. Nela, deve-se evitar comida muito condimentada e quente;
  • Inverno: em uma estação seca e fria, como Vata, damos preferência aos alimentos quentes, oleosos, doces, ácidos e salgados;
  • Climas úmidos e chuvosos: assim como presente no início da primavera, este clima pede alimentos leves, temperados e secos.


No período de 7 dias entre cada estação a dieta deve ser gradativamente mudada conforme a estação seguinte. 
Dando preferência aos alimentos orgânicos e, se possível, de cultivo local, a comida deve ser fresca e preparada no dia, dessa forma todos os nutrientes serão conservados sem corrermos o risco de acumular toxinas. Devem ser untuosos, facilmente digeríveis, bem temperados e servidos a uma temperatura morna. A refeição deve ser preparada por pessoas com sentimentos positivos, assim como aqueles que a comem, não devendo comer quando irritados, discutindo ou em companhia indesejável. 

O local de refeição também deve ter seus cuidados, sendo limpo e agradável assim também o apreciador da comida deve estar de banho tomado. Se isso não for possível, deverá estar pelo menos de mãos e rosto lavados. Por ser considerado sagrado e medicinal, o alimento deve ser agradecido de acordo com a crença individual de cada um.

Veja também18 dicas infalíveis de decoração Feng Shui

Por fim, os 6 sabores devem estar incluídos nas refeições, sendo eles o doce, salgado, ácido, amargo, adstringente e picante. A combinação deve agradar o paladar assim como a forma, a cor e a textura, sendo ingeridos com devida atenção. Nem muito rápido, nem devagar. Mastigue a comida até formar uma pasta untuosa. Procure se alimentar em horários regulares para que o processo digestivo seja adequado.

Quanto aos líquidos que acompanham a refeição, evite gelados, adoçados ou químicos. A ayurveda recomenda um chá digestivo ou água morna para facilitar o processo digestivo. 

Afaste as más energias da sua vida!

O Ano de 2016 pode ser o seu ano! Liberte-se das más energias e vibrações negativas que possam estar a perturbar você. Não temos a solução dos problemas, mas podemos ajudar na descoberta para o caminho melhor.

 

A influência dos alimentos


Alimentos Sáttvicos

São aqueles considerados leves, puros, de fácil digestão, de sabor suave e adocicado. O seu consumo diário aumenta a resistência física, favorece a boa saúde e a longevidade. Os alimentos sáttvicos tem o poder de ativar a mente superior, os bons sentimentos e as emoções refinadas, elevando a consciência e a espiritualidade.
De modo geral, a dieta vegetariana e a lacto vegetariana são mais sáttvicas do que a dieta baseada em carnes e produtos de origem animal, abrangendo os seguintes alimentos:

  • Tâmara, maçã, melancia, cereja, laranja-lima, lima da pérsia;
  • Sucos de frutas doces;
  • Aspargo, alface, aipo, couve-flor, acelga, abóboras em geral;
  • Inhame, batata-doce, cenoura, raiz de lótus, lentilha seca, ervilha fresca, feijão branco;
  • Castanha de caju, castanha do Pará, amêndoa, avelã, nozes, coco;
  • Arroz integral, trigo integral, aveia, centeio, cevada, milho;
  • Gergelim, mel de abelhas, água de fonte natural;
  • Leite, manteiga sem sal, Ghee, creme de leite, lassi.


Alimentos Rajásicos

Considerados alimentos intermediários, alguns com certas tendências sáttvicas, outros com tendências tamásicas, esses alimentos podem ser leves ou pesados, mas em sua maioria são neutros. De modo geral, são excitantes e tonificantes do sistema nervoso. Seu uso diário estimula a energia vital e a atividade mental. São eles:

  • Damasco, morango, pêra, figo, jaca, manga, banana, frutas muito ácidas, como a laranja e o abacaxi;
  • Tomate, berinjela, alcachofra, pepino, agrião, dente de leão, salsinha;
  • Cebolinha, rúcula, couve, escarola, espinafre, azeitonas em conservas;
  • Grão de bico, feijão azuki, feijão preto, amendoim;
  • Alho poro, cebola, nabo, rabanete, cará, batata, aipim, gengibre;
  • Queijos suaves frescos, iogurte, coalhada fresca, coalhada seca, manteiga com sal;
  • Carnes brancas (rã, aves em geral, coelho, peixes), mariscos e frutos do mar em geral;
  • Café, chá mate, chá preto, chá verde japonês, sal marinho, melado, guaraná do amazonas, chimarrão.


Alimentos Tamásicos

Considerados impuros, pesados, de digestão difícil, condicionados, fermentados, de sabor carregado, fortes e densos, esses alimentos aumentam intensamente a força física, mas por pouco tempo. O seu consumo diário acarreta o desgaste orgânico, além de prejuízos à saúde e à qualidade de vida como um todo. De modo geral, os alimentos tamásicos induzem à impulsividade, às emoções inferiores, à lassidão, à preguiça e ao torpor mental e embotam a consciência. Considera-se uma dieta tamásica aquela baseada excessivamente em alimentos de origem animal, alimentos em conservas e tóxicos em geral, como os relacionados abaixo:

  • Carnes vermelhas (porco, vaca e outros animais) e vísceras;
  • Carnes industrializadas, gorduras de origem animal e ovos;
  • Bacalhau salgado;
  • Queijos fermentados e de odor forte;
  • Conservas em geral;
  • Pimentas, pimentão, temperos fortes, vinagre;
  • Bebidas alcoólicas em geral.

Temperos e Especiarias


A ciência ayurvédica reconhece o uso dos temperos e especiarias como medicamentos. Basicamente vegetariana, a alimentação ayurvédica costuma ser caseira, simples, saudável, fresca e repleta de sabores intrigantes. Como base deste diferencial, a Auyrveda indiana aposta em um conjunto de temperos – conhecidos como massalas – que possuem agentes curativos com propriedades anti-inflamatórias e anticancerígenas, que facilitam a digestão e trazem benefícios ao coração.

Muitos dos estudos feitos se concentram, principalmente, nos poderes curativos da cúrcuma, que é a base das especiarias indianas. Alguns deles apontam inclusive a eficácia da cúrcuma na prevenção e combate ao câncer. 
Conheça a seguir os cinco sabores que são a base da dieta ayurvédica.

  • Cúrcuma: com aroma de terra e sabor forte, predominantemente amargo, a cúrcuma, além de já ter sido comprovada sua eficácia anticancerígena, também é estimulante do cérebro, protege contra doenças cardíacas e fortifica os pulmões. 
  • Cominho: é agradável e tem aroma de nozes. O sabor é picante e estimula o sistema digestivo, usado para tratar gases. Além disso, pesquisas mostram que o cominho pode estimular as enzimas pancreáticas. 
  • Coentro: sementes e folhas frescas são mais usadas, pois possuem um aroma cítrico muito gostoso. O sabor é adstringente e estimula o sistema digestivo. Alguns estudos sugerem que ele pode ser útil para tratar alguns tipos de câncer, diabetes, doenças cardiovascular e baixar o nível do mau colesterol (LDL) e aumentar o nível do bom colesterol (HDL). 
  • Semente de mostarda: adiciona um sabor picante e estimulante que pode ser acrescentado em alimentos gordurosos. 
  • Pimenta caiena: de sabor picante, deve ser usada com moderação, assim ela dará sabor e calor à comida sem mudar o sabor do prato. As pimentas em geral contêm capsaicina, que comprovadamente interrompe a resposta da dor. Também estimula o metabolismo e é benéfica para o coração, por suas propriedades desobstrutivas.


Mas não basta apenas acrescentar estes ingredientes à sua alimentação, existe ainda um outro segredo no uso das especiarias: a técnica chamada tadka, sugere que os temperos sejam aquecidos em óleo, a fim de realçar o sabor.

Somente acrescentar temperos secos à comida não dará um bom resultado, deixando, por muitas vezes, a comida com gosto seco e amargo. Todos os temperos devem ser aquecidos no óleo, especialmente a cúrcuma, para acentuar mais o sabor.

► Já viu o seu Horóscopo para hoje?

 

Encontre na nossa comunidade a sua Orientação Espiritual

Veja também:

Gostou? Compartilhe!